Jovair: “A presidente não gosta do Congresso”

Relator do impeachment, deputado Jovair Arantes (PTB-GO) atribuiu parte da atual crise política ao "pouco caso" com que a presidente Dilma Rousseff teria tratado os parlamentares; para ele, Dilma e sua equipe "se sentem acima da lei" por ter realizado pedalas fiscais também em 2015; em entrevista, ele admite, porém, que a presidente não tem relação "pessoal" com irregularidades; "Mas se minha equipe faz qualquer coisa, eu tenho que responder por isso", afirma

Relator do impeachment, deputado Jovair Arantes (PTB-GO) atribuiu parte da atual crise política ao "pouco caso" com que a presidente Dilma Rousseff teria tratado os parlamentares; para ele, Dilma e sua equipe "se sentem acima da lei" por ter realizado pedalas fiscais também em 2015; em entrevista, ele admite, porém, que a presidente não tem relação "pessoal" com irregularidades; "Mas se minha equipe faz qualquer coisa, eu tenho que responder por isso", afirma
Relator do impeachment, deputado Jovair Arantes (PTB-GO) atribuiu parte da atual crise política ao "pouco caso" com que a presidente Dilma Rousseff teria tratado os parlamentares; para ele, Dilma e sua equipe "se sentem acima da lei" por ter realizado pedalas fiscais também em 2015; em entrevista, ele admite, porém, que a presidente não tem relação "pessoal" com irregularidades; "Mas se minha equipe faz qualquer coisa, eu tenho que responder por isso", afirma (Foto: Gisele Federicce)

247 – A presidente Dilma Rousseff "não gosta" do Congresso, afirmou o deputado Jovair Arantes (PTB-GO), autor do relatório pró-impeachment na comissão especial da Câmara que avalia o processo de afastamento da presidente.

Para ele, "é claro" que parte da atual crise política está na dificuldade de Dilma em lidar com os parlamentares. "O início dessa crise política foi o pouco caso que ela faz do Congresso. Para ela, o Congresso era só para votar o Orçamento para fazer do jeito que ela quisesse e depois aprovar as contas, quando viessem, do jeito que viessem. E ficou provado que não está certo", disse Jovair, em entrevista à Folha.

Segundo o relator, a presidente e sua equipe "se sentem acima da lei" por terem mantido a prática das pedaladas fiscais em 2015, depois de críticas e alertas feitos no ano anterior. Apesar de pedir o impeachment, ele admite que a presidente não tem relação "pessoal" com irregularidades. "Mas se minha equipe faz qualquer coisa, eu tenho que responder por isso", opina.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247