Justiça autoriza reajuste de IPTU em São Paulo

TJ-SP considerou constitucional lei de 2013 apresentada pelo prefeito Fernando Haddad (PT) e que foi questionada pela Fiesp e pelo PSDB com ações na Justiça; lei previa aumento do imposto em até 20% para imóveis residenciais e em até 35% para os não residenciais este ano; a partir de 2015, reajustes respectivos são de 10 e 15%, se não houver recurso em instâncias superiores

TJ-SP considerou constitucional lei de 2013 apresentada pelo prefeito Fernando Haddad (PT) e que foi questionada pela Fiesp e pelo PSDB com ações na Justiça; lei previa aumento do imposto em até 20% para imóveis residenciais e em até 35% para os não residenciais este ano; a partir de 2015, reajustes respectivos são de 10 e 15%, se não houver recurso em instâncias superiores
TJ-SP considerou constitucional lei de 2013 apresentada pelo prefeito Fernando Haddad (PT) e que foi questionada pela Fiesp e pelo PSDB com ações na Justiça; lei previa aumento do imposto em até 20% para imóveis residenciais e em até 35% para os não residenciais este ano; a partir de 2015, reajustes respectivos são de 10 e 15%, se não houver recurso em instâncias superiores (Foto: Gisele Federicce)

SÃO PAULO (Reuters) - O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) considerou constitucional lei de 2013 que altera termos de cálculo do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) da capital paulista e eleva o tributo que incide sobre moradias e imóveis não residenciais.

Se não for alterada por recurso em instâncias superiores, a decisão do tribunal vai garantir receita adicional de 789 milhões de reais à prefeitura de São Paulo.

A lei, que foi questionada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo PSDB, previa aumento do imposto em até 20 por cento para imóveis residenciais e em até 35 por cento para os imóveis não residenciais este ano, seguido por reajustes respectivos de 10 e 15 por cento a partir de 2015. Porém, como a legislação foi questionada, este ano a prefeitura emitiu boletos de cobrança constando apenas reajuste pela inflação.

Procurada, a prefeitura não comentou o assunto de imediato. Em 2013, a prefeitura havia informado que o aumento médio do IPTU em 2014 seria 14,09 por cento.

Segundo o TJ, "não ocorreram os vícios alegados" no recurso da Fiesp e PSDB e "não houve ofensa a princípios constitucionais referentes ao processo legislativo". Com a decisão, a municipalidade paulista poderá aplicar aumento no valor do IPTU para 2015, informou o tribunal em nota.

(Por Alberto Alerigi Jr., edição de Luciana Bruno)

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247