Máfia do ISS: Câmara não tem pressa para criar CPI

Expectativa negativa é do próprio vereador que a propôs, Gilberto Natalini, do PV; embora tenha conseguido número de assinaturas suficiente para instalar comissão parlamentar de inquérito (CPI) para apurar o desvio de mais de R$ 500 milhões na chamada máfia do ISS, parlamentar reconhece falta de vontade dos colegas para fazê-lo; para que a CPI seja criada no início de 2014, o vereador necessita obter apoio para aprovar o pedido de urgência na tramitação do requerimento das investigações; ele reconhece que não conseguirá

Expectativa negativa é do próprio vereador que a propôs, Gilberto Natalini, do PV; embora tenha conseguido número de assinaturas suficiente para instalar comissão parlamentar de inquérito (CPI) para apurar o desvio de mais de R$ 500 milhões na chamada máfia do ISS, parlamentar reconhece falta de vontade dos colegas para fazê-lo; para que a CPI seja criada no início de 2014, o vereador necessita obter apoio para aprovar o pedido de urgência na tramitação do requerimento das investigações; ele reconhece que não conseguirá
Expectativa negativa é do próprio vereador que a propôs, Gilberto Natalini, do PV; embora tenha conseguido número de assinaturas suficiente para instalar comissão parlamentar de inquérito (CPI) para apurar o desvio de mais de R$ 500 milhões na chamada máfia do ISS, parlamentar reconhece falta de vontade dos colegas para fazê-lo; para que a CPI seja criada no início de 2014, o vereador necessita obter apoio para aprovar o pedido de urgência na tramitação do requerimento das investigações; ele reconhece que não conseguirá (Foto: Romulo Faro)

SP 247 - Apesar de ter recolhido quantidade de assinaturas suficiente para instalação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para apurar a máfia do ISS de São Paulo, o vereador Gilberto Natalini, do PV, não acredita que a Câmara Municipal dará prosseguimento às investigações no início de 2014.

A comissão que deveria investigar o esquema de corrupção na Secretaria de Finanças da capital paulista que deu mais de R$ 500 milhões em prejuízos aos cofres públicos deve esbarrar na falta de interesse político dos vereadores, segundo matéria do jorna Folha de São Paulo.

Investigação segundo o diário, colocaria na berlinda as gestão do atual prefeito, Fernando Haddad (PT), e de seus antecessores Gilberto Kassab (PSD) e José Serra (PSDB), pois o esquema corrupto pode ter inciado em 2005.

Por ora, a Polícia Federal tem indícios mais fortes na gestão Kassab, que tinha como titular da Secretaria de Finanças o tucano Mauro Ricardo Costa, que atulamente comanda a Sceretaria da Fazenda de ACM Neto (DEM), em Salvador.

Para que a CPI seja criada, o vereador Gilberto Natalini necessita obter apoio para aprovar o pedido de urgência na tramitação do requerimento das investigações. Se ele conseguir, o que acha improvável, o pedido de CPI será posto na frente da fila de matérias a serem apreciadas em plenário.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247