Maluf confirma apoio à reeleição de Dilma

Depois de fechar aliança com o ex-presidente Lula pela candidatura de Fernando Haddad, em 2012, em São Paulo, o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) reafirma nova fidelidade ao PT: vai apoiar a reeleição da presidente Dilma e a candidatura de Alexandre Padilha (PT) pelo governo do Estado; sobre a aliança com um governo que se diz de esquerda, disse: “Eu não financiaria, por exemplo, a indústria automobilística com dinheiro do BNDES, mas o PT faz. Então o PT nisso aqui também é direita. Eu sou comunista perto deles”

Depois de fechar aliança com o ex-presidente Lula pela candidatura de Fernando Haddad, em 2012, em São Paulo, o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) reafirma nova fidelidade ao PT: vai apoiar a reeleição da presidente Dilma e a candidatura de Alexandre Padilha (PT) pelo governo do Estado; sobre a aliança com um governo que se diz de esquerda, disse: “Eu não financiaria, por exemplo, a indústria automobilística com dinheiro do BNDES, mas o PT faz. Então o PT nisso aqui também é direita. Eu sou comunista perto deles”
Depois de fechar aliança com o ex-presidente Lula pela candidatura de Fernando Haddad, em 2012, em São Paulo, o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) reafirma nova fidelidade ao PT: vai apoiar a reeleição da presidente Dilma e a candidatura de Alexandre Padilha (PT) pelo governo do Estado; sobre a aliança com um governo que se diz de esquerda, disse: “Eu não financiaria, por exemplo, a indústria automobilística com dinheiro do BNDES, mas o PT faz. Então o PT nisso aqui também é direita. Eu sou comunista perto deles” (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 – Depois de apertar publicamente a mão do ex-presidente Lula pela campanha de Fernando Haddad, em 2012, em São Paulo, o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) confirma que vai continuar jogando ao lado dos petistas.

Ele diz que vai apoiar a reeleição de Dilma Rousseff e do ex-ministro Alexandre Padilha (PT), em São Paulo, publicamente: “Eu não caso no porão. Só caso no altar. E tem que ser com cardeal. Disse: se o Haddad vier aqui em casa, e com Lula e Rui Falcão (presidente do PT), e os deputados do PP, então isso sim é um casamento público. Como agora vai ser igual. Seja com quem a gente fechar. Vai ser público”.

Questionado sobre a aliança com um governo de esquerda, disse: “Eu não financiaria, por exemplo, a indústria automobilística com dinheiro do BNDES, mas o PT faz. Então o PT nisso aqui também é direita. Eu sou comunista perto deles”.

Leia aqui a entrevista na íntegra para Juliana Dualibi.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email