Pimentel: Transposição saiu do papel pelo empenho de Lula

“Foi preciso eleger um trabalhador, um retirante do Nordeste, presidente da República, o nosso presidente Lula, para que esse projeto viesse para o papel, porque sequer o projeto executivo existia em 2003”, disse o senador José Pimentel (PT-CE), em pronunciamento no plenário do Senado. O pronunciamento ocorreu em contraposição à tentativa do governo Temer de obter ganhos políticos com a obra, durante a entrega do Eixo Leste da transposição, ocorrida no último sábado. O senador também criticou o atraso na obra da primeira etapa do Eixo Norte, no trecho entre Cabrobó, em Pernambuco, e Jati, no Ceará. Segundo Pimentel, as obras estão paralisadas desde junho de 2016

“Foi preciso eleger um trabalhador, um retirante do Nordeste, presidente da República, o nosso presidente Lula, para que esse projeto viesse para o papel, porque sequer o projeto executivo existia em 2003”, disse o senador José Pimentel (PT-CE), em pronunciamento no plenário do Senado. O pronunciamento ocorreu em contraposição à tentativa do governo Temer de obter ganhos políticos com a obra, durante a entrega do Eixo Leste da transposição, ocorrida no último sábado. O senador também criticou o atraso na obra da primeira etapa do Eixo Norte, no trecho entre Cabrobó, em Pernambuco, e Jati, no Ceará. Segundo Pimentel, as obras estão paralisadas desde junho de 2016
“Foi preciso eleger um trabalhador, um retirante do Nordeste, presidente da República, o nosso presidente Lula, para que esse projeto viesse para o papel, porque sequer o projeto executivo existia em 2003”, disse o senador José Pimentel (PT-CE), em pronunciamento no plenário do Senado. O pronunciamento ocorreu em contraposição à tentativa do governo Temer de obter ganhos políticos com a obra, durante a entrega do Eixo Leste da transposição, ocorrida no último sábado. O senador também criticou o atraso na obra da primeira etapa do Eixo Norte, no trecho entre Cabrobó, em Pernambuco, e Jati, no Ceará. Segundo Pimentel, as obras estão paralisadas desde junho de 2016 (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - O senador José Pimentel (PT-CE) afirmou nesta terça-feira (14), em pronunciamento no plenário do Senado, em Brasília, que o projeto de transposição do rio São Francisco só se tornou realidade pelo empenho e dedicação do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo Pimentel, “foi preciso eleger um trabalhador, um retirante do Nordeste, presidente da República, o nosso presidente Lula, para que esse projeto viesse para o papel, porque sequer o projeto executivo existia em 2003 (ano da primeira eleição de Lula)”.

O pronunciamento de Pimentel ocorreu em contraposição à tentativa do governo Temer de obter ganhos políticos com a obra, durante a entrega do Eixo Leste da transposição, ocorrida no último sábado (11/3), em Monteiro, na Paraíba. Pimentel informou que a celebração dessa etapa da obra será feita com a presença do ex-presidente Lula, no próximo domingo (19/3). “Um conjunto de parlamentares, de pessoas comprometidas com o Nordeste, especialmente com o Nordeste Setentrional, [nós] estaremos na Paraíba, na cidade de Monteiro, para agradecer a Lula o seu empenho, a sua dedicação, em tirar do papel esse projeto que vem desde 1847”, afirmou. A ex-presidenta Dilma Rousseff, que priorizou a obra durante todo o mandato, também deverá participar do evento.

Ao lembrar que, ao longo dos últimos 200 anos, a transposição do São Francisco está na agenda política brasileira, Pimentel destacou que o projeto sempre foi utilizado como tema de campanhas políticas por muitos candidatos, principalmente no século XX. “Hoje, quando esse projeto se torna realidade, todos disputam sua paternidade. Mas aqueles que atualmente se dizem favoráveis à interligação das águas do São Francisco são exatamente os que na campanha eleitoral de 2014 faziam imagens dizendo que esse projeto era inexistente, um verdadeiro engodo para com o povo do Nordeste setentrional”, ressaltou.

Atraso 

Em seu pronunciamento, o senador também criticou o atraso na obra da primeira etapa do Eixo Norte, no trecho entre Cabrobó, em Pernambuco, e Jati, no Ceará. Segundo Pimentel, as obras estão paralisadas desde junho de 2016, quando o governo Temer decidiu realizar licitação internacional para definir qual empresa assumiria a conclusão desse eixo. Os trabalhos foram paralisados com a falência da empresa Mendes Júnior, responsável por essa etapa.

Pimentel informou que a licitação foi concluída em janeiro deste ano, mas a empresa vencedora foi desclassificada, gerando uma disputa jurídica. “Em face disso, nós estamos com o eixo norte paralisado, necessitando da sua conclusão para que as águas possam chegar ao estado do Ceará, garantindo segurança hídrica para a população”, concluiu.  

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247