Projeto turístico leva wi-fi a jangadas em Alagoas

Os jangadeiros que fazem os passeios para as piscinas naturais da Pajuçara passarão a contar com wi-fi até dezembro; iniciativa é uma parceria com a Vivo, que vai ceder aparelhos para que seja ofertada aos turistas a internet sem fio; objetivo é incentivar o compartilhamento de conteúdo relativo a Maceió, difundindo as belezas naturais e estimulando a vinda de novos visitantes

Projeto turístico leva wi-fi a jangadas em Alagoas
Projeto turístico leva wi-fi a jangadas em Alagoas

Alagoas 247 - Durante apresentação dos dados relacionados ao turismo na capital alagoana nesta quinta-feira (16), a Prefeitura de Maceió anunciou que as jangadas que fazem os passeios para as piscinas naturais da Pajuçara passarão a contar com wi-fi até o próximo mês de dezembro. 

A iniciativa é uma parceria com a Operadora Vivo, que pretende ceder os aparelhos para que os jangadeiros possam ofertar aos turistas a internet sem fio. Os trabalhadores da orla, porém, ainda não foram consultados sobre a implantação do projeto, o que deve acontecer em breve. 

O objetivo do projeto é incentivar o compartilhamento de conteúdo relativo ao destino Maceió, difundindo assim as belezas naturais e estimulando a vinda de novos visitantes para a capital alagoana.

Turismo

A Secretaria Municipal de Promoção ao Turismo de Maceió (Semptur) lançou, nesta quinta-feira, o Estudo da Oferta Turística de Maceió. A publicação "Um Olhar sobre o turismo de Maceió: oferta X demanda", é resultado de uma pesquisa inédita realizada pela secretaria, em 2015. 

O estudo foi realizado em parceria com o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade - IABS, que apresentou um panorama da situação atual do turismo na capital alagoana.

Segundo os dados, os turistas nacionais que frequentam Maceió são 35% de São Paulo, 15% do Rio de Janeiro, 15% de Pernambuco e 14% da Bahia. Dos internacionais, 50% são da argentina, 17% da Itália e 16% do Chile.

A pesquisa inventariou 108 equipamentos de hospedagem, com 16.086 leitos, 3.148 funcionários permanentes, 96 temporários e 6.537 unidades habitacionais. Na capital, o maior número de locais para se hospedar é de pousadas, seguidas de hotéis e, depois, albergues e flats empatados. No período de baixa temporada, Maceió  registra uma média de 64,6% de ocupação; já na alta temporada o número chega a 90,9%. 

Além dos hotéis, foram inventariados 331 equipamentos de alimentos e bebidas, com 4.751 funcionários permanentes e 330 temporários. A comida mais pedida é a brasileira e a nordestina. A principal demanda gira em torno da capacitação de garçons, ensino de línguas e atendimento ao público

De acordo com o levantamento, Maceió tem 15 atrativos naturais, mas apenas dois passeios disponíveis. De atrativos culturais são 29, a maioria concentrada nos bairros do Centro e do Jaraguá. Somente 12 abrem aos sábados e sete aos domingos. São cerca de 43 mil visitantes por ano.

A Semptur também fez um estudo da imagem do destino Maceió nas redes sociais. Eles pesquisaram os cometários deixados em dois sites especializados no setor de turismo. Foram analisados 3.035 comentários, destes 46% são de turistas que viajam com a família, 64% adoram praia, 42% buscam paz e tranquilidade e 49% gostam da cultura local. Os que avaliaram Maceió como um destino excelente chegam a 44%; 39% como muito bom, 13% como razoável, 3% como ruim e 1% como horrível.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247