Sobe taxa de desemprego na Grande Belo Horizonte

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Minas Gerais aumentou para 6,7% em agosto deste ano; o percentual é superior aos de julho deste ano (6%) e de agosto de 2014 (4,2%); também é a maior taxa para agosto desde 2009, quando a desocupação ficou em 7,5%; os dados foram divulgados pelo IBGE

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Minas Gerais aumentou para 6,7% em agosto deste ano; o percentual é superior aos de julho deste ano (6%) e de agosto de 2014 (4,2%); também é a maior taxa para agosto desde 2009, quando a desocupação ficou em 7,5%; os dados foram divulgados pelo IBGE
A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Minas Gerais aumentou para 6,7% em agosto deste ano; o percentual é superior aos de julho deste ano (6%) e de agosto de 2014 (4,2%); também é a maior taxa para agosto desde 2009, quando a desocupação ficou em 7,5%; os dados foram divulgados pelo IBGE (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 – A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Minas Gerais aumentou para 6,7% em agosto deste ano. O percentual é superior aos de julho deste ano (6%) e de agosto de 2014 (4,2%). Também é a maior taxa para agosto desde 2009, quando a desocupação ficou em 7,5%. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A População Economicamente Ativa (PEA), indicador referente aos trabalhadores e a quem está à procura de emprego subiu atingiu 2.671 mil pessoas, um aumento de 1,6% em relação ao mesmo mês do ano passado. Em números absolutos, essa elevação representa 43 mil pessoas a mais em busca de vaga.

De acordo com as estatísticas divulgadas pelo IBGE, o número de ocupados foi de 2.491 mil pessoas, um declínio de 1,1% frente ao mesmo mês de 2014, o que representa menos 27 mil pessoas empregadas.

Na comparação anual, o número de empregados com carteira assinada no setor privado registrou queda (-4,5%), enquanto o de trabalhadores por conta própria aumentou (6,9%). 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247