Termina greve dos motoristas de ônibus

Paralisação começou na quinta-feira pela manhã e trabalhadores decidiram finalizar movimento em assembleia realizada nesta sexta-feira; categoria aceitou proposta apresentada pelo sindicato patronal com reajuste salarial de 9% e aumento no vale alimentação de 25%

Termina greve dos motoristas de ônibus
Termina greve dos motoristas de ônibus (Foto: Edilson Pelikano)

Goiás 247_ Os motoristas de ônibus decidiram acabar com a greve que já durava desde quinta-feira. A decisão veio em assembleia da categoria realizada na tarde desta sexta-feira.

Os motoristas aceitaram proposta apresentada durante uma audiência conciliatória convocada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 18° Região (TRT).

O sindicato patronal ofereceu reajuste salarial de 9% e aumento no vale alimentação de 25%, valores que pouco mudam em relação à proposta negada mais cedo pelos motoristas em outra assembleia.


Entenda a greve:

 O trânsito da capital amanheceu congestionado nesta sexta-feira (3/5) devido a continuação da greve dos motoristas de ônibus do transporte coletivo. Mesmo com a determinação judicial de que 70% da frota deve estar nas ruas nos horários de pico, parece que o problema está longe de ser resolvido. O que o goianiense pôde ver na rua foi muita gente e poucos ônibus, um trânsito tumultuado e terminais lotados.

Muita gente encontrou dificuldade para embarcar. Segundo a assessoria de imprensa do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Goiânia (Setransp), um monitoramento periódico está sendo feito para observar a quantidade de veículos que operam nas ruas da capital.

Depois de uma assembleia na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado de Goiás (Sindittransporte), no final da tarde de quinta-feira (2/5), os motoristas do transporte coletivo de Goiânia optaram por não fechar acordo e continuar com a greve. O Setranps ofereceu reajuste de 9% sobre os salários e gratificaçãoes, além de 25% de aumento no valor do vale alimentação.

Funcionamento

Além dos 70% da frota em horário de pico, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou que 40% dos veículos estejam nas ruas nos horários entre picos. A decisão foi tomada pelo vice-presidente em exercício do TRT de Goiás, desembargador Platon Teixeira Filho.

Ele determinou ainda que seja assegurada a garantia de livre acesso de todos os empregados aos seus postos de trabalho, mesmo além dos limites mínimos fixados para o funcionamento do transporte coletivo, além de outras determinações, sob pena de multa de R$ 50 mil diária em caso de descumprimento da decisão.

(Fotos: Edilson Pelicano)

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247