Kotscho sobre blindagem a Alckmin: está tudo dominado

O jornalista Ricardo Kotscho criticou nesta quarta-feira, 11, a decisão do Superior Tribunal de Justiça determinando o envio do inquérito que investiga o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) seja enviado à Justiça Eleitoral do Estado; "Podem até um dia pegar um Aécio Neves ou um Paulo Preto, que já são fósforos queimados, mas com Alckmin o buraco é mais em baixo. STF, STJ, PGR: é tudo a mesma sopa de letras, como diria o Mino Carta", diz ele  

O jornalista Ricardo Kotscho criticou nesta quarta-feira, 11, a decisão do Superior Tribunal de Justiça determinando o envio do inquérito que investiga o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) seja enviado à Justiça Eleitoral do Estado; "Podem até um dia pegar um Aécio Neves ou um Paulo Preto, que já são fósforos queimados, mas com Alckmin o buraco é mais em baixo. STF, STJ, PGR: é tudo a mesma sopa de letras, como diria o Mino Carta", diz ele  
O jornalista Ricardo Kotscho criticou nesta quarta-feira, 11, a decisão do Superior Tribunal de Justiça determinando o envio do inquérito que investiga o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) seja enviado à Justiça Eleitoral do Estado; "Podem até um dia pegar um Aécio Neves ou um Paulo Preto, que já são fósforos queimados, mas com Alckmin o buraco é mais em baixo. STF, STJ, PGR: é tudo a mesma sopa de letras, como diria o Mino Carta", diz ele   (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Ricardo Kotscho criticou nesta quarta-feira, 11, a decisão do Superior Tribunal de Justiça determinando o envio do inquérito que investiga o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) seja enviado à Justiça Eleitoral do Estado.

"Como até a estátua do Borba Gato sabe, todas as instâncias judiciárias paulistas estão sobe o domínio dos tucanos há mais de vinte anos, tempo que dura o mandarinato do PSDB em São Paulo", diz Kotscho. 

"Para Alckmin, as acusações dos delatores da Odebrecht "não têm nenhuma procedência", e vai ficar por isso mesmo. Ainda não será desta vez que a Lava Jato vai deixar de blindar o presidenciável tucano, rubricado como "Santo" nas planilhas da Odebrecht. Podem até um dia pegar um Aécio Neves ou um Paulo Preto, que já são fósforos queimados, mas com Alckmin o buraco é mais em baixo. STF, STJ, PGR: é tudo a mesma sopa de letras, como diria o Mino Carta", diz ele. 

Leia o texto na íntegra no Balaio do Kotscho.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247