"Lula não vai pedir arrego para a Globo", diz Florestan

"O Lula não vai perdoar, esquece. Uma pessoa não é humilhada da maneira como ele foi. Ele foi humilhado", disse o jornalista Florestan Fernandes Jr. em entrevista à TV 247

Florestan Fernandes Jr. e Lula
Florestan Fernandes Jr. e Lula (Foto: Brasil247 | Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Florestan Fernandes Jr., em conversa com a TV 247 neste domingo (12), afirmou que o ex-presidente Lula "não vai pedir arrego" para a Rede Globo, comentando o artigo do jornalista Ascânio Seleme deste sábado (11) que diz que é hora de perdoar o PT.

O artigo é visto como mais um aceno do Grupo Globo ao PT e ao ex-presidente Lula, que foi massacrado pela emissora, mas Florestan alerta: "o Lula não vai perdoar, esquece. Uma pessoa não é humilhada da maneira como ele foi. Ele foi humilhado. O maior presidente que o País teve, o presidente mais popular da história do Brasil. O homem que provou no governo que era possível o Brasil ser diferente do que era. O Brasil era um País aceito no mundo todo, todo mundo estava reverenciando o Brasil. O Brasil estava sendo um País visto como um caminho para muita gente".

"Demonstrou que é possível preservar o capitalismo e melhorá-lo, mas eles não querem melhorar o capitalismo, eles não querem um capitalismo do tipo europeu, de uma Suécia, de uma Dinamarca, de uma França. Eles querem preservar a pobreza, a exclusão, a humilhação, a ganância. É uma elite, como diz o Jessé Souza, do atraso, que gosta de ter aquela ideia de subalternos. No Brasil, os pobres são desprezados, e quando surge uma proposta que tenta incluir essas pessoas, tirar essas pessoas da pobreza e colocar o País em um patamar de civilidade, olhe o que aconteceu. Foram lá e prenderam sem prova, sem anda. Cadê a mala de dinheiro de Lula? Cadê a conta no exterior do Lula? Falar que ele era chefe de quadrilha, o que é isso?", complementou.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247