Os perigos de se usar matéria de jornal como prova em decisão judicial

Em artigo publicado no Jornal GGN, Michel Arbache explica por que matéria de jornal não pode servir como prova

Em artigo publicado no Jornal GGN, Michel Arbache explica por que matéria de jornal não pode servir como prova
Em artigo publicado no Jornal GGN, Michel Arbache explica por que matéria de jornal não pode servir como prova (Foto: Gisele Federicce)

247 - Em artigo publicado no Jornal GGN, Michel Arbache explica por que matéria de jornal não pode servir como prova e os perigos se isso acontecer.

Leia um trecho:

O caso "Dossiê dos Aloprados" serve-nos como um bom exemplo dos perigos que podem estar por trás de uma matéria jornalística. No caso, fabricou-se um escândalo a partir de uma artimanha entre jornalistas e um delegado da PF. Estamos, aqui, tratando de matéria de jornal. Fosse o caso "Dossiê dos Aloprados" um processo judicial, se a foto do dinheiro na capa do jornal Folha de São Paulo fosse usado como prova do crime, isto anularia todo o processo (V. doutrina do fruto da árvore envenenada). Pois a foto vazou para o jornal a partir de um descumprimento de ordem judicial, ou seja, uma ilegalidade.

Leia aqui a íntegra.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247