Clinton critica Obama e elogia Dilma e Lula

Ex-presidente americano diz que não se deve espionar "um aliado" e rasga elogios aos programas de acesso ao ensino universitário "dos governos Lula e Rousseff"; no Rio para um encontro de sua ONG, Bill Clinton comparou o modo como a presidente do Brasil e o presidente da Síria reagiram a manifestações populares nas ruas; "O presidente Bashar al-Assad enviou o exército e, de repente, tinha uma guerra civil com a qual lidar. A presidente Dilma Rousseff, por sua vez, disse 'vocês têm razão, vamos tentar descobrir como resolver os problemas'", disse o democrata

www.brasil247.com - Ex-presidente americano diz que não se deve espionar "um aliado" e rasga elogios aos programas de acesso ao ensino universitário "dos governos Lula e Rousseff"; no Rio para um encontro de sua ONG, Bill Clinton comparou o modo como a presidente do Brasil e o presidente da Síria reagiram a manifestações populares nas ruas; "O presidente Bashar al-Assad enviou o exército e, de repente, tinha uma guerra civil com a qual lidar. A presidente Dilma Rousseff, por sua vez, disse 'vocês têm razão, vamos tentar descobrir como resolver os problemas'", disse o democrata
Ex-presidente americano diz que não se deve espionar "um aliado" e rasga elogios aos programas de acesso ao ensino universitário "dos governos Lula e Rousseff"; no Rio para um encontro de sua ONG, Bill Clinton comparou o modo como a presidente do Brasil e o presidente da Síria reagiram a manifestações populares nas ruas; "O presidente Bashar al-Assad enviou o exército e, de repente, tinha uma guerra civil com a qual lidar. A presidente Dilma Rousseff, por sua vez, disse 'vocês têm razão, vamos tentar descobrir como resolver os problemas'", disse o democrata (Foto: Felipe L. Goncalves)


247 – O presidente Barack Obama ganhou mais um adversário de peso em relação à posição dos EUA de realizarem espionagem sobre cidadãos, governos e empresas em diferentes partes do mundo, entre as quais o Brasil. É ninguém menos que o ex-presidente Bill Clinton, que está no Brasil para o primeiro encontro de sua ONG – a Fundação Clinton Global Initiative – na América Latina.

"Não deveríamos levantar informação econômica sobre o pretexto da segurança", disse Clinton em entrevista ao jornal o Globo. No caso do Brasil, o incômodo maior foi com o acompanhamento das conversas telefônicas da presidente Rousseff. E também da Petrobras", reconheceu. "Não deveríamos levantar informação econômica sob o pretexto de segurança. Não com um aliado".

Clinton elogiou a economia brasileira – "achei importante vir ao Brasil pelo progresso que houve aqui" – e, também, a postura da presidente Dilma Rousseff diante das manifestações de massa em junho deste ano. "Tanto as manifestações quanto a maneira como o governo respondeu a elas são, a longo prazo, indícios positivos", afirmou o ex-presidente.

Ele comparou as reações do presidente da Síria e da presidente brasileira sobre as reivindicações populares. "O presidente Bashar al-Assad enviou o exército e, de repente, tinha uma guerra civil com a qual lidar. A presidente Dilma Rousseff, por sua vez, disse 'vocês têm razão, vamos tentar descobrir como resolver os problemas'", sublinhou Clinton.

Em um forte elogio às administrações do PT, Clinton foi enfático na defesa dos programas de bolsas de estudo e financiamentos a alunos carentes para cursarem o ensino superior. "Os governos Lula e Rousseff tentam fazer algo que nós jamais tentamos: dar às universidades particulares incentivos fiscais proporcionais ao número de alunos de baixa-renda. Isso funciona porque, por um lado, aumenta o número de matrículas e, por outro, não incentiva o aumento das mensalidades.", avaliou o democrata.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email