Com Macri, economia argentina recua 2,5% e país lidera frustração econômica

A política neoliberal implantada pelo governo Mauricio Macri na Argentina fez com que o país liderasse o ranking de frustração econômica na América Latina ao longo do ano passado; vivenciando a maior crise desde 2001, o PIB do país encolheu 2,5% em 2018. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística e Censos, o PIB recuou 1,2% no quarto trimestre em comparação com o período anterior; Outros países da região, como Brasil e México, também registraram crescimento abaixo das expectativas

Com Macri, economia argentina recua 2,5% e país lidera frustração econômica
Com Macri, economia argentina recua 2,5% e país lidera frustração econômica
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A política neoliberal implantada pelo governo Mauricio Macri na Argentina fez com que o país liderasse o ranking de frustração econômica na América Latina ao longo do ano passado. Vivenciando a maior crise desde 2001, o Produto Interno Bruto (PIB) do país encolheu 2,5% em 2018. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística e Censos, o PIB recuou 1,2% no quarto trimestre em comparação com o período anterior e teve queda de 6,2% sobre o último trimestre do exercício anterior.

Outros países da América Latina também registraram crescimento abaixo das expectativas. O Brasil, que esperava um incremento do PIB da ordem de 1,4%, ficou em 1,1%. No México, o crescimento foi de 2%, inferior a expectativa de 2,2%. As economias que mais cresceram em 2018, foram as do Chile e Peru, com 4% cada. Na Colômbia, o incremento foi de 2,7%. Outros países, entre eles o Equador, Bolívia, Uruguai, Paraguai e Venezuela, ainda não divulgaram os dados referentes ao PIB do ano passado.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email