Consenso entre Xi e Trump orienta acordo comercial entre China e EUA

Em comentário publicado no último domingo (24) em meios de informação da China, sobre o estágio das negociações entre a China e os EUA para pôr fim à guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo, destaca-se que ambos os países "estão próximos de um acordo de benefício mútuo e de ganhos recíprocos com progressos substanciais em assuntos específicos desde o encerramento da última rodada de conversações econômicas e comerciais de alto nível no último domingo (24), em Washington"

Consenso entre Xi e Trump orienta acordo comercial entre China e EUA
Consenso entre Xi e Trump orienta acordo comercial entre China e EUA (Foto: Hyungwon Kang)

247, com Xinhua - Em comentário publicado no último domingo (24) em meios de informação da China, sobre o estágio das negociações entre a China e os EUA para pôr fim à guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo, destaca-se que ambos os países "estão próximos de um acordo de benefício mútuo e de ganhos recíprocos com progressos substanciais em assuntos específicos desde o encerramento da última rodada de conversações econômicas e comerciais de alto nível no último domingo (24), em Washington".

A agência Xinhua informa que a delegação chinesa assinala que foram alcançados progressos substanciais em assuntos específicos em áreas como transferência de tecnologia, proteção dos direitos de propriedade intelectual e barreiras não tarifárias, o presidente dos EUA Donald Trump publicou no Twitter que vai adiar o aumento de tarifas sobre importações chinesas programado para 1º de março.

"As últimas rodadas de negociações - diz a agência noticiosa - foram promovidas pela implementação dos consensos atingidos pelos presidentes Xi Jinping e Trump, que se reuniram em dezembro do ano passado após o encerramento da cúpula do G20 na Argentina".

De acordo com o comentário, "durante as três rodadas de conversações de alto nível em cerca de um mês, o presidente da China e dos EUA se reuniram separadamente com as equipes negociadoras para fornecer orientações e impulso ao compromisso no futuro".

A agência Xinhua opina que "as trocas francas de opiniões vêm sendo um catalisador para resolver as disputas. A melhor escolha para China e EUA é manter consultas em uma base equitativa e à luz dos consensos atingidos pelos dois presidentes antes de chegar a um acordo de benefício mútuo e de ganhos recíprocos".

"A extensão da última rodada de negociações e o adiamento da subida de tarifas sobre importações chinesas demonstram sinceridade, alta atenção e senso de urgência de ambos os lados. Indicam também que ainda existem algumas diferenças que precisam de mais tempo para serem eliminadas".

"Entretanto, a última semana foi importante para as duas maiores economias do mundo e suas ações no futuro. Após cerca de um ano de negociações cuidadosas, cada passo nesse último período vale a pena, e qualquer avanço de benefício mútuo depende da capacidade dos dois lados para manter o engajamento em uma base equitativa".

"Mesmo com tarefas difíceis no futuro, os dois lados não têm melhor alternativa do que trabalharem conjuntamente para o seu próprio bem e o interesse de todo o mundo. Em seus esforços para chegarem a um acordo, China e EUA sabem que devem trabalhar pelos melhores resultados, enquanto se preparam para o pior cenário".

O comentário finaliza explicitando a posição do país asiático para pôr fim à guerra comercial: "A China considera as fricções comerciais tanto como desafios quanto como oportunidades. Para realizar sua meta de desenvolvimento de longo prazo, a China precisa garantir seus interesses essenciais e promover reformas mais profundas ao mesmo tempo".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247