Coronavírus já estava na França em dezembro, segundo especialistas

Para o médico Yves Cohen, a identificação de um caso positivo remonta a 27 de dezembro

(Foto: REUTERS/Gonzalo Fuentes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O novo coronavírus estava na França no fim de dezembro, de acordo com estudo. Os primeiros casos oficiais são do final de janeiro. O chefe da unidade de reanimação dos hospitais Avicenne e Jean-Verdier, o médico Yves Cohen, anunciou neste domingo, 3, a identificação de um caso positivo que remonta a 27 de dezembro.

A pesquisa estuda amostras congeladas de pacientes internados no Jean-Verdier e Avicenne de 2 de dezembro a 16 de janeiro. "Dos 14 pacientes, um deu positivo", disse ele. O paciente foi um homem de 42 anos que foi examinado em 27 de dezembro. Isso seria a prova de que "a covid-19 já estava se espalhando pela França no fim de dezembro de 2019, um mês antes dos primeiros casos oficiais", assinalam os autores do estudo publicado no "International Journal of Antimicrobial Agents".

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247