Embaixador francês em Washington diz que os EUA já não são os xerifes do mundo

O embaixador da França nos Estados Unidos, Gérard Araud, é crítico em relação à política externa de Washington nos últimos anos. Ele afirmou que devido às posturas e medidas de Washington tomadas para com seus parceiros e inimigos, os Estados Unidos já não podem ser o xerife do mundo. "O papel dos EUA como xerife do mundo acabou

Embaixador francês em Washington diz que os EUA já não são os xerifes do mundo
Embaixador francês em Washington diz que os EUA já não são os xerifes do mundo

HispanTV - O embaixador da França nos Estados Unidos, Gérard Araud, é crítico em relação à política externa de Washington nos últimos anos. Ele afirmou que devido às posturas e medidas de Washington tomadas para com seus parceiros e inimigos, os Estados Unidos já não podem ser o xerife do mundo. "O papel dos EUA como xerife do mundo acabou".

Em entrevista concedida a The Atlantic e publicada na sexta-feira (19), Araud se referiu à questão nuclear iraniana e ao chamado "acordo do século" para a questão palestina.

Sobre a questão nuclear iraniana, o chefe da missão francesa em Washington disse que a decisão unilateral do presidente dos EUA, Donald Trump, de retirar seu país do acordo nuclear assinado em 2015 pelo Irã e o Grupo 5+1 (EUA, Reino Unido, Rússia, França e China, mais a Alemanha), surpreendeu Paris.

O embaixador da França afirmou que seu país estava negociando com os parceiros para avançar no acordo nuclear. "De repente, tudo se acabou em uma noite. Ninguém tinha sido alertado e na noite seguinte ninguém podia explicar as razões da decisão dos EUA, disse Araud.

Em outro momento da entrevista, o diplomata francês se referiu à questão da Palestina, prevendo que o chamado "acordo do século" fracassará em 99 por cento.

"Este plano (o acordo do século) está muito próximo do que querem os israelenses, mas pode fracassar em 90%", sublinhou.

O controvertido plano de Trump para supostamente "resolver a questão palestino-israelense" inclui, entre outras medidas a favor de Israel, o rechaço do direito ao retorno à sua terra dos refugiados palestinos, expulsos dela depois da instauração do regime de ocupação israelense em 1948.

Araud acrescentou que com o "acordo do século" que "é um plano de 50 páginas", o presidente estadunidense pode ser o mais adequado para promover os interesses do regime de Israel.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247