Kirchner pressiona pelo adiamento do acordo da dívida do FMI até que a pandemia diminua, diz Financial Times

A vice-presidente argentina Cristina Kirchner e seus aliados querem adiar um acordo de dívida de 44 bilhões de dólares com o Fundo Monetário Internacional (FMI) até que a pandemia de Covid-19 diminua

(Foto: Reuters UK)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - A vice-presidente argentina Cristina Kirchner e seus aliados querem adiar um acordo de dívida de 44 bilhões de dólares com o Fundo Monetário Internacional (FMI) até que a pandemia de Covid-19 diminua, informou o Financial Times no domingo, citando autoridades.

Há cerca de uma semana, o presidente argentino Alberto Fernández disse acreditar que o FMI deveria conceder ao país termos mais flexíveis.

A Argentina está há meses em negociações com o FMI para reestruturar os termos de um empréstimo buscado pelo antecessor de Fernandez, Mauricio Macri, para enfrentar uma crise econômica que fez a pobreza disparar em um dos maiores produtores mundiais de grãos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email