Pelo menos 28 pessoas morrem em ataque aéreo em Trípoli, na Líbia

Um ataque aéreo contra uma escola militar na capital da Líbia, Trípoli, deixou pelo menos 28 pessoas mortas e dezenas de feridos neste sábado (4), segundo uma fonte governamental

(Foto: Hani Amara / Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - Um ataque aéreo contra uma escola militar na capital da Líbia, Trípoli, deixou pelo menos 28 pessoas mortas e dezenas de feridos neste sábado (4), segundo uma fonte governamental.

"Um ataque aéreo em uma escola militar de Trípoli matou 28 cadetes e feriu outras dezenas", disse Amin al-Hashemi, porta-voz do Ministério da Saúde do Governo de Acordo Nacional (GNA), sediado em Tripoli e reconhecido pela ONU. 

No momento do bombardeio os cadetes estavam reunidos para um desfile antes de seguirem para os dormitórios. A escola fica numa área residencial da capital líbia.

A pasta da Saúde pediu para moradores de Trípoli doarem sangue para os feridos em hospitais e bancos de sangue. Até o momento, nenhum grupo assumiu a autoria da ação. 

A Líbia está dividida entre dois governos rivais desde 2011, quando o líder Muammar Kadhafi foi deposto e assassinado. Após sua queda, o país passou a ser controlado, ao leste, pelo marechal Khalifa Haftar, e ao oeste, pelo GNA. 

Marechal mobilização contra presença estrangeira na Líbia

Na quinta-feira (2), o parlamento turco aprovou o envio de tropas para ajudar o Governo de Acordo Nacional, que vem sofrendo um forte cerco das forças de Haftar desde abril, principalmente na região sul. 

Após a decisão da Turquia, Haftar pediu uma mobilização nacional contra a presença de tropas estrangeiras na Líbia. 

Neste sábado, porém, o parlamento da Líbia reconhecido pela ONU, baseado em Trípoli, votou pelo cancelamento do acordo militar assinado pelo governo com a Turquia. Paralelamente, o parlamento baseado em Bengazi cortou relações diplomáticas com Ancara.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247