Reino Unido rejeita segundo referendo sobre UE

Governo britânico rejeitou uma petição online assinada por 4,1 milhões de pessoas que pediram a convocação de um novo referendo sobre a permanência ou não do país na União Europeia; em um referendo em 23 de junho, 52% dos britânicos que votaram, ou 17,4 milhões de pessoas, escolheram sair da UE

Governo britânico rejeitou uma petição online assinada por 4,1 milhões de pessoas que pediram a convocação de um novo referendo sobre a permanência ou não do país na União Europeia; em um referendo em 23 de junho, 52% dos britânicos que votaram, ou 17,4 milhões de pessoas, escolheram sair da UE
Governo britânico rejeitou uma petição online assinada por 4,1 milhões de pessoas que pediram a convocação de um novo referendo sobre a permanência ou não do país na União Europeia; em um referendo em 23 de junho, 52% dos britânicos que votaram, ou 17,4 milhões de pessoas, escolheram sair da UE (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O governo britânico rejeitou uma petição online assinada por 4,1 milhões de pessoas que pediram a convocação de um novo referendo sobre a permanência ou não do país na União Europeia.

Em um referendo em 23 de junho, 52 por cento dos britânicos que votaram, ou 17,4 milhões de pessoas, escolheram pela saída da UE. Pela permanência, foram 48 por cento, ou 16,1 milhões dos votos. A maior parte dos políticos afirma que o resultado deve ser respeitado, mas alguns dos que votaram pela permanência no bloco têm tido dificuldades para aceitá-lo.

A petição pede que o governo acione uma regra pela qual deve haver um segundo referendo caso os votos pela saída ou pela permanência tenham ficado abaixo dos 60 por cento, e caso o comparecimento às urnas tenha sido abaixo de 75 por cento.

O Foreign Office, o ministério de relações internacionais britânico que foi o órgão responsável pelo projeto de lei que convocou e regulamentou o referendo, respondeu que a legislação não estabeleceu um mínimo para o resultado ou para o comparecimento.

"O primeiro-ministro e o governo foram claros que essa é uma votação que ocorre uma vez a cada geração, como dito pelo primeiro-ministro, a decisão deve ser respeitada", disse o ministério.

"Devemos agora nos preparar para o processo de saída da UE e o governo está comprometido em assegurar o melhor resultado possível para o povo britânico nas negociações."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247