Rússia: não forcem Ucrânia a escolher entre nós e o Ocidente

Comentário, feito pelo chanceler russo, Sergei Lavrov, nesta terça-feira, foi o mais recente em uma série de alertas feitos por Moscou à União Europeia e aos Estados Unidos para que não tentem influenciar o futuro do antigo Estado soviético

Russia's Foreign Minister Sergei Lavrov attends a news conference after a meeting with his German counterpart Frank-Walter Steinmeier in Moscow, February 14, 2014. Lavrov accused the European Union on Friday of seeking to create a "sphere of influence" by
Russia's Foreign Minister Sergei Lavrov attends a news conference after a meeting with his German counterpart Frank-Walter Steinmeier in Moscow, February 14, 2014. Lavrov accused the European Union on Friday of seeking to create a "sphere of influence" by (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

MOSCOU, 25 Fev (Reuters) - A Ucrânia não pode ser forçada a escolher entre manter laços próximos com a Rússia ou com o Ocidente, disse o chanceler russo, Sergei Lavrov, nesta terça-feira.

O comentário foi o mais recente em uma série de alertas feitos por Moscou à União Europeia e aos Estados Unidos para que não tentem influenciar o futuro do antigo Estado soviético.

"É perigoso e contraproducente tentar forçar a Ucrânia a escolher dentro do princípio: 'ou você está conosco ou está contra nós'", disse Lavrov em entrevista coletiva conjunta após encontro com o chanceler de Luxemburgo, Jean Asselborn.

A Rússia e o Ocidente precisam "usar os contatos com as diferentes forças políticas na Ucrânia para acalmar a situação... e não buscarem vantagens unilaterais num momento em que é necessário o diálogo nacional", acrescentou Lavrov.

Há temores de que a culturalmente dividida Ucrânia possa sofrer um racha interno após três meses de protestos que resultaram na deposição do presidente. Tanto a Rússia como o Ocidente enfatizaram publicamente que não desejam que isso ocorra.

O chanceler francês, Laurent Fabius, disse à emissora de TV France 2 que ninguém está forçando a Ucrânia a fazer uma escolha.

(Por Steve Gutterman; Reportagem adicional John Irish em Paris)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email