Soldados foram enganados por oficiais golpistas para passar ao lado de Guaidó, diz ministro

O governo venezuelano, por meio de seu ministro da Defesa, Vladimir Padrino López, reconheceu a insurgência de um grupo de soldados e oficiais na tentativa de golpe liderada por Juan Guaidó na manhã desta terça-feira (30), mas explicou que a maioria dos militares – 80%, segundo o ministro – teria sido enganada.

Soldados foram enganados por oficiais golpistas para passar ao lado de Guaidó, diz ministro
Soldados foram enganados por oficiais golpistas para passar ao lado de Guaidó, diz ministro
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasil de FatoDe acordo com um dos soldados que teria sido induzido a se juntar aos golpistas, em entrevista para a Telesur, ele e sua tropa receberam na tarde dessa segunda-feira (29) uma ordem para aprontar seus uniformes, pois iriam supostamente receber condecorações e "uma notícia que mudaria nossa vida".

Nada, entretanto, aconteceu durante a tarde e noite. Mas durante a madrugada, ainda de acordo com o soldado, por volta das três da manhã, a tropa recebeu ordem de buscar seus fuzis para uma incursão à Penitenciária de Tocorón, no estado de Arágua, cerca de 150 km distante de Caracas. A explicação: "a notícia de que haviam invadido o presídio com mil fuzis e iam soltar os presos para que atacassem o povo".

Mas após a saída da base, os soldados teriam sido informados pelo comandante Rafael Pablo Soto Manzanares, e pelo seu irmão major Cequeda, de que se tratava de um golpe de Estado.

Confira a reportagem completa no Brasil de Fato.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247