Tensão máxima no conselho de Segurança da ONU

Os embaixadores dos EUA e da Rússia nas Nações Unidas, Samantha Power e Vitaly Churkin, declaram “estar fartos” um de outro no Conselho de Segurança; na noite de ontem, a Rússia convocou uma reunião do conselho, depois que os Estados Unidos violaram o acordo de cessar-fogo e dispararam contra o Exército sírio, num ataque que foi interpretado como uma ajuda ao Estado Islâmico

Os embaixadores dos EUA e da Rússia nas Nações Unidas, Samantha Power e Vitaly Churkin, declaram “estar fartos” um de outro no Conselho de Segurança; na noite de ontem, a Rússia convocou uma reunião do conselho, depois que os Estados Unidos violaram o acordo de cessar-fogo e dispararam contra o Exército sírio, num ataque que foi interpretado como uma ajuda ao Estado Islâmico
Os embaixadores dos EUA e da Rússia nas Nações Unidas, Samantha Power e Vitaly Churkin, declaram “estar fartos” um de outro no Conselho de Segurança; na noite de ontem, a Rússia convocou uma reunião do conselho, depois que os Estados Unidos violaram o acordo de cessar-fogo e dispararam contra o Exército sírio, num ataque que foi interpretado como uma ajuda ao Estado Islâmico (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Sputinik – No sábado à noite, a Rússia convocou uma sessão de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas para tratar dos ataques aéreos da coalizão liderada pelos EUA contra o Exército sírio, que, segundo Moscou, enfraquecem o histórico acordo de cessar-fogo que entrou em vigor no início desta semana. Os ataques deixaram 80 soldados sírios mortos e por volta de 100 pessoas feridas.

Antes da reunião, quando o representante permanente da Federação da Rússia já estava presente na sala de consultas da ONU, a representante dos EUA se aproximou dos jornalistas e chamou a iniciativa russa de convocar a reunião de "ação cínica e hipócrita".

Churkin, por sua vez, falou à mídia sobre o comportamento "estranho" de Samantha Power. "Quando os representantes se reuniram na sala de consultas, comecei a partilhar minhas preocupações com os membros do Conselho, e como se viu, ela se aproximou da mídia e, sem me ouvir, começou a criticar e a culpar a Rússia, criticando-nos mesmo por termos convocado esta reunião", disse ele.

De acordo com Churkin, Samantha Power entrou na sala de consultas já depois do fim da intervenção do representante russo e disse que para ela não era interessante ouvir o que ele dizia e que "tudo isso não passava de um truque, etc.".

"Da parte dela, isto mostra uma atitude provocadora sem precedentes. Nestas condições, eu também não estou interessado em saber como ela nos vai acusar de todos os pecados mortais, e, por seu lado, também saí. Na sala ficou só a nossa delegação", disse o representante permanente da Rússia.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email