Diante da 'degradação' do governo, governadores querem segurar votações

A crise política enfrentada pelo governo Jair Bolsonaro acendeu a luz de alerta para os governadores que, agora, buscam evitar que os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP), pautem projetos de interesse dos estados apresentados pelo Planalto; temor é que o governo entre em uma "degradação acelerada" junto ao Congresso e os projetos acabem encontrando resistência junto aos parlamentares

Diante da 'degradação' do governo, governadores querem segurar votações
Diante da 'degradação' do governo, governadores querem segurar votações (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

247 - A crise política enfrentada pelo governo Jair Bolsonaro acendeu a luz de alerta para os governadores que, agora, buscam evitar que os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP), respectivamente, pautem projetos de interesse dos estados apresentados pelo Planalto.

Os governadores receiam que a crise se aprofunde e coloque o governo em uma "degradação acelerada" junto ao Congresso e os projetos apresentados pelo Palácio do Planalto que envolvam temas de interesse dos Estados acabem encontrando resistência junto aos parlamentares.

O assunto foi discutido durante um jantar oferecido por Alcolumbre nesta terça-feira (19) e que reuniu os governadores de 13 estados (BA, RJ, PA, PE, RS, ES, PI, RN, SC, SE, AM, MS e AP), além o Distrito Federal. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, os presidentes das duas casas legislativas teriam sinalizado um direcionamento comum em relação às pautas de interesse dos estados como, securitização da dívida e em torno da cessão onerosa.

Ainda segundo a reportagem, a avaliação dos governadores é que qualquer projeto apresentado pelo governo antes do Carnaval deverá ser derrotado nas votações.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247