Dirceu: Renan é vítima de falso moralismo

Ex-ministro petista declara em blog apoio ao peemedebista na votação à presidência do Senado: a mesma campanha udenista levou o presidente Jânio Quadros ao Planalto (1960) porque ia "varrer a corrupção"; os militares ao poder porque eles "combatiam a corrupção e a subversão"; e depois elegeu o presidente Fernando Collor, o caçador de marajás...

Dirceu: Renan é vítima de falso moralismo
Dirceu: Renan é vítima de falso moralismo
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ex-ministro José Dirceu declarou em seu blog apoio ao senador Renan Calheiros (PMDB), favorito à presidência do Senado apesar da série de denúncias de corrupção que pesam contra ele. Para o petista, alagoano é vitima de falso moralismo. Leia:

Campanha de falso moralismo não deve impedir eleição de Renan

Tudo indica que o senador Renan Calheiros (AL) será eleito presidente do Senado amanhã e o deputado Henrique Eduardo Alves (RN), presidente da Câmara na próxima 2ª feira. Ambos são do PMDB e é uma grande bobagem a continuidade dessa campanha da mídia dizendo que o Executivo é que os elege, ou que eles só se elegem por contar com o apoio do Planalto.

Foi o povo que elegeu o Congresso e decidiu, pelo voto, por sua vontade soberana, que PSDB-DEM seriam oposição e minoria e PT-PMDB formariam e dirigiriam uma coalizão majoritaria que, como tal, tem o dever de eleger os presidentes do Senado e da Câmara e, respeitado o critério da proporcionalidade, preencher os demais cargos da Mesa nas duas Casas.

Assim, o que estamos assistindo em relação ao senador Renan Calheiros é, de novo, uma ofensiva midiática dando cobertura a denúncias contra ele concertadas com ações do Ministério Público Federal (MPF) e com intervenções de grupos organizados como aconteceu ontem frente ao Congresso Nacional.

Nada mais que isto, com o objetivo de dividir a base de apoio do governo e continuar com a campanha moralista e udenista. A mesma campanha falso-moralista que levou o presidente Jânio Quadros ao Planalto (1960) porque ia "varrer a corrupção"; os militares ao poder porque eles "combatiam a corrupção e a subversão"; e depois elegeu o presidente Fernando Collor, o caçador de marajás...

Aliás, o símbolo ontem dos manifestantes em frente ao Congresso Nacional era a vassoura. Mudar mesmo fazendo a reforma política e administrativa nem pensar. Estes neoudenistas dos novos tempos se opõem a ferro e fogo ao financiamento público e ao voto em lista. Observem, também, que à frente dessas campanhas de agora há sempre deputados e senadores defensores da mídia e inimigos de qualquer regulação.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247