Ex-comunista, Aldo Rebelo defende discurso de Bolsonaro sobre a Amazônia na ONU

Militante do PCdoB durante boa parte de sua trajetória política, o ex-presidente da Câmara Aldo Rebelo (SD-SP) defende Jair Bolsonaro, que jogou a responsabilidade em cima dos índios e de ONGs pelas queimadas. "A abordagem da questão da Amazônia a partir de uma perspectiva que não é a das ONGs, que tratam a floresta como um santuário desantropizado", disse Rebelo

(Foto: Wilson Dias/Ag�ncia Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Militante do PCdoB durante boa parte de sua trajetória política, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Aldo Rebelo (SD-SP) defende as posições de Jair Bolsonaro. 

"A abordagem da questão da Amazônia a partir de uma perspectiva que não é a das ONGs, que tratam a floresta como um santuário desantropizado. Ou seja, para essas pessoas, parece que não mora ninguém na Amazônia. E lá vive a população mais abandonada no Brasil, que são os índios e ribeirinhos, com a mais alta taxa de mortalidade e analfabetismo", disse Rebelo ao jornal O Estado de S.Paulo

Em discurso durante a Assembleia-Geral da ONU, na semana passada, Bolsonarocolocou a culpa nos índios pelas queimadas. "Clima seco favorece queimadas. Existem queimadas praticadas por índios", complementou. "A visão de um líder indígena não representa a visão de todos os índios brasileiros. Algumas pessoas de dentro e de fora apoiada por ONGs querem nossos índios como homens das cavernas", continuou.

Boslonaro também criticou o que chamou de "ambientalismo radical e indigenismo ultrapassado", que, segundo ele, representam o "atraso".

Para Rebelo, o atual ocupante do Planalto "abordou corretamente essa outra Amazônia praticamente desconhecida". "Mas Bolsonaro assumiu uma posição muito defensiva no caso da Amazônia. Podia ser mais explicativa. Basta recorrer aos grandes intelectuais que abordaram a questão da Amazônia. Os ensaios do Euclydes da Cunha, o Josué de Castro com o livro Geografia da Fome e outros", disse.





O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email