Justiça manda bloquear 70% da aposentadoria de Ronnie Lessa, acusado de matar Marielle Franco

Investigações apontam patrimônio incompatível com a renda de um policial militar reformado. Há suspeita de tráfico de armas

Ronnie Lessa e Marielle Franco
Ronnie Lessa e Marielle Franco (Foto: Reprodução | Mídia NINJA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Metropoles -  juiz Gustavo Kalil, da 4ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, determinou o bloqueio de 70% do valor da aposentadoria de Ronnie Lessa, policial militar reformado preso e acusado pelos assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSol) e o motorista Anderson Gomes.

De acordo com o magistrado, os 30% restantes têm como objetivo a “subsistência de eventuais filhos menores e dependentes”.

A Justiça já havia determinado o bloqueio de outros bens de Lessa, como imóveis, lancha, carro e terrenos.

A Polícia Civil e a Justiça acreditam que o patrimônio de Lessa, encontrado durante as investigações, é incompatível com a renda de um PM reformado. Há suspeitas, baseadas na movimentação financeira avaliada, de que o dinheiro possa ser fruto de atividades ilícitas, como comércio ilegal de armas de fogo.

De acordo com as investigações da Delegacia Especializada em Armas e Explosivos (Desarme), Lessa traficava armas dos Estados Unidos desde 2014, com a ajuda da filha.

Em setembro, o Ministério Público transferiu para o Ministério Público Federal a atribuição sobre a investigação, que indiciou Ronnie Lessa e a filha, Mohana, pelo crime de tráfico internacional de armas.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247