Lula: Serra não soube administrar banco em SP

"Quando nós percebemos que o Serra não tinha competência para cuidar da Caixa Econômica Estadual [na verdade a Nossa Caixa], nós assumimos o compromisso de comprar a Caixa Econômica Estadual", disse Lula, durante discurso na celebração de 90 anos do Sindicato dos Bancários de São Paulo; o Nossa Caixa foi comprado por cerca de R$ 5,4 bilhões pelo Banco do Brasil em 2008; no discurso, ex-presidente também defendeu o fortalecimento do mercado interno como "salvação" do país

Lula: Serra não soube administrar banco em SP
Lula: Serra não soube administrar banco em SP
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente Lula disse nesta terça-feira, durante discurso no Sindicato dos Bancários de São Paulo, que o ex-governador José Serra (PSDB-SP) não teve "competência" para administrar a Nossa Caixa, comprada pelo Banco do Brasil em 2008. O petista discursava durante evento de celebração dos 90 anos do sindicato.

"Quando nós percebemos que o Serra não tinha competência para cuidar da Caixa Econômica Estadual [referindo-se à Nossa Caixa], nós assumimos o compromisso de comprar a Caixa Econômica Estadual", disse Lula. O Nossa Caixa foi comprado por cerca de R$ 5,4 bilhões. Durante o discurso, Lula disse que seu governo federal também comprou instituições de outros Estados que, segundo ele, seriam privatizadas.

O ex-presidente também defendeu o fortalecimento do mercado interno como "salvação" para o país. "De vez em quando, eu vejo umas pessoas dizendo que o Brasil precisa exportar mais, que não tem que se voltar para o mercado interno", defendeu. "A salvação deste país foi o mercado interno, foi a gente criar condições para que a maioria da população, que não tinha acesso às coisas elementares, começasse a sonhar em ter uma conta bancária, a comprar uma casinha, uma geladeira, uma roupa, um carro, a viajar de avião para o exterior", discursou. Ouça:

Homenagem

Durante sua intervenção, Lula destacou não apenas o legado de lutas da entidade, mas também o fato histórico de Juvandia Moreira ser a primeira mulher a presidir o sindicato. Ele lembrou que não faz muito tempo que as mulheres eram discriminadas por usar calças, fumar e que os sindicatos eram dominados por homens.

Lula parabenizou Juvandia pela data e lembrou que o sindicato já passou por momentos muito difíceis. "Quando conheci os bancários, a gente só protestava porque não éramos tratados com dignidade", disse lembrando que muitos órgãos e bancos se recusavam a receber os sindicalistas. Ele também lembrou a grande proximidade dele com o sindicato desde suas origens e declarou: "minha alma é dividida entre os metalúrgicos e os bancários".

Lula também lembrou que o processo de bancarização ocorrido no Brasil nos últimos anos foi gigantesco, incluindo mais do que o equivalente a uma população da Argentina nos serviços bancários. Juvandia também falou das ações do governo na última década e declarou que o sindicato apoia a regulamentação do sistema financeiro, a diminuição do spread bancário e das taxas aplicadas. "Quase 40% da população está excluída dos serviços bancários. Nós queremos essa inclusão", lembrou ela.

Com Instituto Lula

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247