PSOL quer apuração de denúncias contra Pedro Novais e Francisco Escórcio

Ex-ministro teve governanta com salrios pagos pela Cmara dos Deputados durante sete anos

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O PSOL vai pedir formalmente à corregedoria da Câmara que apure as denúncias contra o deputado e ex-ministro do Turismo Pedro Novais (PMDB-MA) e contra o deputado Francisco Escórcio (PMDB-MA) por suposto desvio de dinheiro público. O pedido será protocolado hoje à tarde na Mesa da Câmara.

A base para o pedido são as revelações de que Novais pagou, de 2003 a 2010, o salário da governanta de seu apartamento com dinheiro da Câmara destinado à atividade parlamentar e de que a mulher do ex-ministro, Maria Helena de Melo, usa irregularmente um funcionário da Câmara, contratado pelo gabinete de Escórcio, como motorista particular, segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo.

O PSOL avaliava, desde ontem, quando Novais deixou o cargo, a iniciativa de uma representação contra o deputado por falta de decoro parlamentar. "O caso é muito grave. O ex-ministro usa verbas públicas em benefício privado", considerou o deputado Ivan Valente (PSOL-SP). O PSOL pediu a abertura de processo contra a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), flagrada em vídeo recebendo dinheiro do pivô do "mensalão do DF", Durval Barbosa, mas o plenário absolveu a parlamentar.

O presidente da Câmara, Marco Maia, condenou, ontem, o uso de dinheiro da Casa em atividade privada e já considerava que a Mesa seria provocada por alguma partido para apurar as denúncias contra Novais. Ele afirmou que qualquer pedido será encaminhado ao corregedor da Casa, Eduardo da Fonte (PP-PE), para a elaboração de um parecer, depois de ouvida a defesa do parlamentar.

De acordo com as regras da Casa, cada deputado tem a verba de R$ 60 mil por mês para contratar até 25 assessores para trabalhar "exclusivamente nos gabinetes parlamentares em Brasília ou no Estado de representação do parlamentar".

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247