Sucessão de Aécio divide ainda mais o PSDB

A provável renúncia do senador Aécio Neves (MG) à presidência do PSDB, que deve acontecer nas próximas semanas, já começa a aprofundar o racha entre a já dividida cúpula tucana; a definição do sucessor de Aécio no comando do PSDB deve acirrar a divisão interna do partido sobre o apoio da sigla ao governo Michel Temer; defensores do desembarque articulam a convocação imediata da eleição de um novo presidente para efetivar o senador Tasso Jereissati (CE), que ocupa o cargo interinamente desde maio; já a ala que prega a manutenção do apoio da legenda a Temer, entretanto, quer postergar essa substituição para tentar construir uma candidatura alternativa

tasso aecio
tasso aecio (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A definição do sucessor de Aécio Neves (MG) na presidência do PSDB ameaça aprofundar a divisão interna do partido sobre o apoio da sigla ao governo Michel Temer.

Com a provável renúncia de Aécio ao posto, esperada para as próximas semanas, os tucanos devem escolher até o fim deste ano o nome que vai conduzir a sigla nas eleições presidenciais de 2018.

Defensores do desembarque do PSDB do governo articulam a convocação imediata da eleição de um novo presidente para efetivar o senador Tasso Jereissati (CE), que ocupa o cargo interinamente desde maio.

O cearense assumiu o comando do partido logo após o afastamento de Aécio, flagrado em uma conversa em que pede R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, da JBS.

A ala tucana que prega a manutenção do apoio da legenda a Temer, entretanto, quer postergar essa substituição para tentar construir uma candidatura alternativa.

O núcleo paulista dos tucanos, capitaneado pelo governador Geraldo Alckmin, busca outros nomes para presidir o partido e tenta neutralizar a ação de rompimento liderada por Tasso.

Em conversas reservadas, tucanos apontam como possíveis candidatos ao posto o governador de Goiás, Marconi Perillo, e o ex-governador de Alagoas Teotônio Vilela Filho. Tasso tem indicado a aliados que não se candidatará ao comando do PSDB se houver uma disputa. Ele pretende apresentar seu nome apenas se houver consenso.

As informações são de reportagem de Talita Fernandes e Bruno Boghossian na Folha de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247