Vice-presidente do PSDB critica Executiva do partido

"A Executiva tem se mostrado um órgão cartorial. Num ano totalmente conturbado como esse, que teve até impeachment, nós só nos reunimos uma única vez para decidir se iríamos apoiar ou não o governo Temer. Isso não é nada", disse Alberto Goldman; para ele, o partido está sem clareza

"A Executiva tem se mostrado um órgão cartorial. Num ano totalmente conturbado como esse, que teve até impeachment, nós só nos reunimos uma única vez para decidir se iríamos apoiar ou não o governo Temer. Isso não é nada", disse Alberto Goldman; para ele, o partido está sem clareza
"A Executiva tem se mostrado um órgão cartorial. Num ano totalmente conturbado como esse, que teve até impeachment, nós só nos reunimos uma única vez para decidir se iríamos apoiar ou não o governo Temer. Isso não é nada", disse Alberto Goldman; para ele, o partido está sem clareza (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O vice-presidente do PSDB, Alberto Goldman, criticou duramente a cúpula do partido e classificou a Executiva Nacional como "um órgão cartorial".

"A Executiva tem se mostrado um órgão cartorial. Num ano totalmente conturbado como esse, que teve até impeachment, nós só nos reunimos uma única vez para decidir se iríamos apoiar ou não o governo Temer. Isso não é nada", afirmou, segundo reportagem do Estado de S. Paulo.

Em coluna da jornalista Sonia Racy nesta terça-feira 18, ele diz que o partido está sem clareza. "O partido continua sem muita clareza" sobre o quadro do País. Para ele, uma das razões é "a força de um eleitorado conservador". Assim "fica difícil o partido encontrar o seu eixo", afirma.

Declaração vem em meio a discussões sobre as eleições internas sobre a sucessão do colegiado previstas para serem realizadas em maio do próximo ano e que deverão definir os rumos do partido nas eleições presidenciais de 2018. O PSDB atualmente está sob o comando do senador mineiro Aécio Neves.

Goldman também criticou o que chamou de "ausência de critérios" nos repasses de recursos do Fundo Partidário aos candidatos da legenda nas eleições municipais deste ano. Nas eleições, o vice-presidente tucano foi um crítico ferrenho da escolha de João Doria pelo governador Geraldo Alckmin, chegando a fazer vídeos contra o candidato, que venceu em primeiro turno.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247