Guedes diz que funcionário público filiado a partido não pode ter estabilidade

Entrando na lógica das perseguições políticas, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que funcionários públicos filiados a partidos não podem ter estabilidade no cargo. Ele disse: "[Quem] tem filiação partidária, não é funcionário do estado brasileiro, é militante"

(Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Entrando na lógica das perseguições políticas, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que funcionários públicos filiados a partidos não podem ter estabilidade no cargo. Ele disse: "[Quem] tem filiação partidária, não é funcionário do estado brasileiro, é militante."

Guedes ainda declarou: "pode ser militante à vontade, mas não pode ter estabilidade [quando houver vínculo partidário]”.

A reportagem do site Infomoney destaca que "na frente do funcionalismo público, as medidas anunciadas incluem um período de contrato CLT para empregados de estatais antes de atingir a estabilidade financeira."

A matéria ainda acrescenta que "não foram divulgados detalhes sobre esse plano de carreira, mas Guedes mencionou um período de “três, quatro anos, dependendo da profissão” de trabalho remunerado com salários compatíveis com a iniciativa privada para os “jovens”. Depois disso, pode-se adquirir o direito à estabilidade no cargo e aos aumentos salariais programados."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247