Após quase dois meses, Rio volta a apresentar tendência de alta em mortes por Covid-19

O Rio de Janeiro apresentou neste sábado (25) tendência de alta no número de mortes por Covid-19 pela primeira vez desde o dia 4 de junho

Mulher passa por grafite do presidente Jair Bolsonaro ajustando sua máscara protetora e em forma de vírus, em meio ao surto de Covid-19 no Rio de Janeiro.
Mulher passa por grafite do presidente Jair Bolsonaro ajustando sua máscara protetora e em forma de vírus, em meio ao surto de Covid-19 no Rio de Janeiro. (Foto: REUTERS/Sergio Moraes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Rio de Janeiro apresentou neste sábado (25) tendência de alta no número de mortes por Covid-19 pela primeira vez desde o dia 4 de junho. O estado registrou ontem uma média móvel diária de 127 óbitos.

Até este domingo (26), foram 12.835 mortes e 156.325 casos confirmados de Covid-19, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde. Foram 27 óbitos e 32 casos novos registrados em 24 horas. Na média móvel, são 103 mortes.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247