Delação da Odebrecht não cita entregas de R$ 14 mi em dinheiro vivo

Arquivos da transportadora de valores usada pela Odebrecht para executar pagamentos ilícitos a políticos e a agentes públicos na cidade de São Paulo apontam que foram omitidos em delações ao menos R$ 14 mi em entregas de dinheiro vivo vinculadas a codinomes criados pela empreiteira

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Delatores não deram ao Ministério Público Federal (MPF) informações sobre arquivos da transportadora de valores usada pela Odebrecht para executar pagamentos ilícitos a políticos e agentes públicos na cidade de São Paulo apontam que ao menos R$ 14 milhões em entegas de dinheiros vivo vinculadas a codinomes criados pela empreiteira. O dinheiro vivo era capacto em comércio popular de São Paulo.

De acordo com dados da planilha e do registro de conversas de Skype entregues por um ex-funcionário da Transnacional à Polícia Federal e a programação semanal de pagamentos feita pelo Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, o departamento de propina da empreiteira, as entregas abarcam um período que vai de maio de 2013 a maio de 2015 e envolvem mais de R$ 200 milhões em repasses. As estatísticas foram publicadas no jornal O Estado de S.Paulo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email