Judiciário penhora R$ 3,6 bilhões de Eike Batista

A ação foi consequência de uma ação movida pela Fazenda Nacional contra o ex-bilionário

www.brasil247.com - Eike Batista
Eike Batista (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)


247 - A 5ª Vara Federal de Execução Fiscal do Rio de Janeiro determinou a penhora de R$ 3,6 bilhões do empresário Eike Batista. A decisão, assinada na última segunda-feira (20), foi consequência de uma ação movida pela Fazenda Nacional contra o ex-bilionário e a MMX, mineradora do grupo X que faliu em 2021. A informação foi publicada nesta quinta-feira (23) pela coluna de Malu Gaspar

Há um processo de venda das debêntures oferecido pelo empresário como garantia de pagamento da multa de R$ 800 milhões prevista no seu acordo de delação premiada, confirmado em março de 2020. 

A decisão judicial do Rio colocou a Receita Federal na disputa pelo dinheiro das debêntures. A Procuradoria-Geral da República, credora da multa pela delação, e os credores da massa falida da MMX também estão na fila para receber o dinheiro obtido com a venda de debêntures.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em nota, a defesa de Eike informou que o ex-bilionário só tomou conhecimento do pleito do fisco após a decisão da 5ª Vara. "O empresário está buscando as informações necessárias sobre os tributos cobrados da MMX para informar nos autos os pagamentos já feitos. Vamos recorrer", afirmou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email