Lindbergh: ‘ódio se organiza para o extermínio da diferença’

O senador Lindbergh Faria (PT-RS) afirma que "pra quem minimizou o fascismo, tá aí o resultado: o ódio se organiza para o extermínio da diferença"; a post no Twitter foi publicado após o delegado Hélder Laudia, responsável pelas investigações sobre o ataque à caravana do ex-presidente Lula no Paraná, informar que os tiros contra os ônibus foram um ataque planejado; "Quem fez isso sabia o que estava fazendo. Não podemos dizer que foi algo orquestrado e o que motivou", disse o delegado

O senador Lindbergh Faria (PT-RS) afirma que "pra quem minimizou o fascismo, tá aí o resultado: o ódio se organiza para o extermínio da diferença"; a post no Twitter foi publicado após o delegado Hélder Laudia, responsável pelas investigações sobre o ataque à caravana do ex-presidente Lula no Paraná, informar que os tiros contra os ônibus foram um ataque planejado; "Quem fez isso sabia o que estava fazendo. Não podemos dizer que foi algo orquestrado e o que motivou", disse o delegado
O senador Lindbergh Faria (PT-RS) afirma que "pra quem minimizou o fascismo, tá aí o resultado: o ódio se organiza para o extermínio da diferença"; a post no Twitter foi publicado após o delegado Hélder Laudia, responsável pelas investigações sobre o ataque à caravana do ex-presidente Lula no Paraná, informar que os tiros contra os ônibus foram um ataque planejado; "Quem fez isso sabia o que estava fazendo. Não podemos dizer que foi algo orquestrado e o que motivou", disse o delegado (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - O senador Lindbergh Faria (PT-RS) afirma que "pra quem minimizou o fascismo, tá aí o resultado: o ódio se organiza para o extermínio da diferença". O post no Twitter foi publicado após o delegado Hélder Laudia, responsável pelas investigações sobre o ataque à caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Paraná, informar que os tiros contra os ônibus foram um ataque planejado.

"Quem fez isso sabia o que estava fazendo. Não podemos dizer que foi algo orquestrado e o que motivou. Mas, a pessoa não estava lá atirando em passarinhos e por acaso acertou o ônibus", disse ele, conforme relato do G1.

O atentado aconteceu no dia no dia 27 de março, em um trecho da PR-473 entre Quedas do Iguaçu, no oeste do estado, e Laranjeiras do Sul, na região central do estado.

Segundo Lauria, o atirador se posicionou e esperou a caravana passar para atirar. O delegado informou que ainda não é possível afirmar o local exato dos disparos e o motivo. Ele deve pedir ao menos mais 30 dias para concluir o inquérito policial.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247