Lindbergh sobre Noblat: esse roteiro já foi executado e originou uma ditadura

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) questionou declaração do colunista Ricardo Noblat dizendo que "um ministro muito próximo do presidente Michel Temer duvida que haja eleições em outubro próximo. Acha que o agravamento do quadro de tensão política no país não permitirá"; "Que especulação é essa? O agravamento da tensão interna é reflexo justamente da ruptura democrática e do aprofundamento do golpe! Esse roteiro já foi executado no Brasil e originou uma Ditadura", disse o senador

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) questionou declaração do colunista Ricardo Noblat dizendo que "um ministro muito próximo do presidente Michel Temer duvida que haja eleições em outubro próximo. Acha que o agravamento do quadro de tensão política no país não permitirá"; "Que especulação é essa? O agravamento da tensão interna é reflexo justamente da ruptura democrática e do aprofundamento do golpe! Esse roteiro já foi executado no Brasil e originou uma Ditadura", disse o senador
O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) questionou declaração do colunista Ricardo Noblat dizendo que "um ministro muito próximo do presidente Michel Temer duvida que haja eleições em outubro próximo. Acha que o agravamento do quadro de tensão política no país não permitirá"; "Que especulação é essa? O agravamento da tensão interna é reflexo justamente da ruptura democrática e do aprofundamento do golpe! Esse roteiro já foi executado no Brasil e originou uma Ditadura", disse o senador (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) questionou o post do colunista do jornal o Globo Ricardo Noblat dizendo que "um ministro muito próximo do presidente Michel Temer duvida que haja eleições em outubro próximo. Acha que o agravamento do quadro de tensão política no país não permitirá".

"Que especulação é essa? O agravamento da tensão interna é reflexo justamente da ruptura democrática e do aprofundamento do golpe! Esse roteiro já foi executado no Brasil e originou uma Ditadura", escreveu o parlamentar no Twitter.

O comentário do jornalista acontece em meio ao agravamento do fascismo, com tiros a um ônibus da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na noite desta terça-feira (27), no Paraná. 

A bancada do PT na Câmara classificou o atentado como "crime político" e informou que pedirá ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, para a Polícia Federal investigar o caso. O titular da pasta, no entanto, havia dito que este caso deve ser investigado por autoridades estaduais.

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247