“Prenderam o Lula e agora querem assassinar os que o apoiam. Não passarão”

Depois dos tiros disparados contra um acampamento em favor do ex-presidente Lula, a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) afirmou que "a Globo, os seguidores do Bolsonaro e o governo golpista do Temer são os responsáveis pelo clima de intolerância e ódio instaurado no país"; "Vivemos em um estado de exceção. Prenderam o Lula e agora querem assassinar os que o apoiam. Não passarão!"

Brasília - A Deputada Jandira Feghali durante entrevista de parlamentares que apoiam o governo após encontro com a Presidenta Dilma Rousseff (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - A Deputada Jandira Feghali durante entrevista de parlamentares que apoiam o governo após encontro com a Presidenta Dilma Rousseff (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - Depois dos tiros disparados contra um acampamento em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) afirmou que "a Globo, os seguidores do Bolsonaro e o governo golpista do Temer são os responsáveis pelo clima de intolerância e ódio instaurado no país".

"Vivemos em um estado de exceção. Prenderam o Lula e agora querem assassinar os que o apoiam. Não passarão!", disse a parlamentar na VI Caminhada dos Cravos no Campo de São Bento em Niterói.

Duas pessoas ficaram feridas, mas sem risco de vida. Uma das vítimas, a advogada Marcia Koakoski da Silveira, afirmou que os atiradores gritavam "Bolsonaro presidente". "Quando fui ao banheiro, é que começou o confronto entre os vigante e os bandidos vestidos de Bolsonaro Ele gritavam o tempo todo 'Bolsonaro, presidente'", disse ela à sua colega Tânia Mandarino, também advogada. Relato publicado no Diario do Centro do Mundo.

É a segunda vez que apoiadores do ex-presidente são alvos de tiros. Em março, dois ônibus foram alvejados, também no Paraná. 

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247