Gaeco busca documentos em departamento do governo do Paraná

Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) realizou uma operação de busca e apreensão dentro do Departamento de Transportes (Deto), órgão ligado à Secretaria Estadual de Administração e da Previdência (Seap); segundo o MP-PR, foram recolhidos documentos usados para justificar um contrato de emergência feito para a manutenção de carros da frota do governo Beto Richa (PSDB); MP aponta que a licitação foi direcionada à empresa Oficina Providence, de Cambé, que te como dono Luiz Abi Antoun, parente de Richa

Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) realizou uma operação de busca e apreensão dentro do Departamento de Transportes (Deto), órgão ligado à Secretaria Estadual de Administração e da Previdência (Seap); segundo o MP-PR, foram recolhidos documentos usados para justificar um contrato de emergência feito para a manutenção de carros da frota do governo Beto Richa (PSDB); MP aponta que a licitação foi direcionada à empresa Oficina Providence, de Cambé, que te como dono Luiz Abi Antoun, parente de Richa
Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) realizou uma operação de busca e apreensão dentro do Departamento de Transportes (Deto), órgão ligado à Secretaria Estadual de Administração e da Previdência (Seap); segundo o MP-PR, foram recolhidos documentos usados para justificar um contrato de emergência feito para a manutenção de carros da frota do governo Beto Richa (PSDB); MP aponta que a licitação foi direcionada à empresa Oficina Providence, de Cambé, que te como dono Luiz Abi Antoun, parente de Richa (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) realizou, nesta terça-feira (5) uma operação de busca e apreensão dentro do Departamento de Transportes (Deto), órgão ligado à Secretaria Estadual de Administração e da Previdência (Seap), no Palácio das Araucárias, em Curitiba.

Segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR), foram recolhidos documentos usados para justificar um contrato de emergência feito para a manutenção de carros da frota do governo Beto Richa (PSDB).

A empresa contratada foi a Oficina Providence, de Cambé, no norte do Paraná. Investigações realizadas pelo Gaeco em Londrina, também no norte do estado, apontaram que a Providence estava registrada no nome do mecânico Ismar Ieger.

No entanto, promotores afirmaram que Ieger é um "laranja", e que o dono da empresa seria Luiz Abi Antoun, parente de Richa.

Conforme gravações telefônicas obtidas pelo MP, em uma das conversas, Ieger acerta com o ex-diretor do Deto, Ernani Delicato, como as propostas deveriam ser feitas. MP informou, ainda, que o empresário Paulo Midauar teria intermediado o contato entre Ieger e o Deto para a elaboração da licitação.

Em uma das conversas gravadas pela promotoria, Midauar cita o nome da secretária estadual de Administração e da Previdência, Dinorah Nogara.

Paulo Midauar: Você acha que é necessário dá um pulo aí amanhã com ele [Ismar Ieger] para conversar com você pra tirar as dúvidas?

Ernani Delicato: Acho que dá pra, pra, pra conversar é por telefone.
Midauar: Aí eu poupo a viagem amanhã com ele, se não eu ia só pra, pra dar um abraço em você, na Dinorah e na família também né.

Os advogados de Luiz Abi Antoun, Ismar Ieger e Ernani Delicato não comentaram o caso, segundo o G1, que tabém ouviu o advogado Mauricio Carneiro. Ele defende Paulo Midauar e negou que o cliente tenha participado de qualquer fraude, e afirmou que vai provar a inocência do empresário. Todos os quatro envolvidos estão entre os sete denunciados pelo MP por fraude em licitação e formação de quadrilha. A Justiça aceitou a denúncia.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247