A Armadilha de Tucídides pode se transformar numa profecia autorrealizável?

"Foi a ascensão de Atenas, e o medo que isso inspirou em Esparta, que tornou a guerra inevitável"

www.brasil247.com -
(Foto: REUTERS/Steve Nesius)
Siga o Brasil 247 no Google News

O conceito popularizado pelo cientista político norte americano Graham T. Allison, exposto tanto num artigo (The Thucydides Trap: Are the U.S. and China Headed for War?) como num livro posterior (Destined for War: Can America and China Escape Thucydides's Trap?). Tucídides foi um historiador e general ateniense da antiguidade grega que escreveu sobre a do Guerra do Peloponeso e sobre essa ele disse algo como “foi a ascensão de Atenas, e o medo que isso inspirou em Esparta, que tornou a guerra inevitável”. A partir da história da Grécia antiga, Allison tenta generalizar que quando surge uma potência emergente que tende a superar a uma potência em estabelecida (ou em decadência) indicando que na maior parte dos casos haverá uma guerra entre as duas. Tanto o artigo como o livro, ao meu juízo, não entende exatamente qual é o verdadeiro “espirito das guerras”, e apesar de levantar a possibilidade de que o confronto dos USA contra a China nega-se a entender a verdadeira razão de como seria o início dessa guerra. Esse erro é devido a formação dos acadêmicos vinculados ao governo norte-americano, que devido a verdadeira lavagem cerebral não o permite ver o seu país como uma potência decadente além disso atribui os conflitos a exótica teoria do “Choque de Civilizações” (Samuel P. Huntington), esquecendo que desde que o mundo é mundo as guerras são de motivadas por carácter puramente econômico. Os acadêmicos norte-americanos como Huntington e Allison sempre procuram razões culturais, morais e outras baboseiras, para explicar a evolução da sociedade, sem vincular a aspectos econômicos, para de uma forma ou outra usando a “Excepcionalismo americano” e o “destino manifesto” para colocar a democracia burguesa como o ápice da civilização como descreve outro acadêmico Francis Fukuyama no “O fim da história”, livro que o autor já o renega com toda a veemência. 

A pergunta que deve ser feita é se os Estados Unidos (a potência em decadência) entre em guerra com a China (a potência em ascensão), devido as perdas econômicas imensas que os Estados Unidos sofreriam se perdessem a hegemonia, transforme a Armadilha de Tucídides numa profecia autorrealizável. 

Se os Estados Unidos perderem o controle das trocas internacionais deixando de ser a sua moeda praticamente a principal moeda das transações comerciais, deixando de ser uma reserva monetária para todos os países essa começará a valer somente pela sua capacidade de produção de bens e serviços. Caso isso ocorrer, estima-se que o dólar valerá menos de 1/3 de seu atual valor, ou seja, sua população excetuando os mais ricos cairão entre níveis de pobreza e miséria. Num país em que há muito mais armas do que habitantes, o desconforto dessa população levará o país ao caos. 

PUBLICIDADE

Qualquer outra solução para os USA que não seja a de manter a hegemonia via suas forças armadas e não aceitar a por conta da impressão de papel verde para consumir tudo o que deseja, será calamitosa, essa armadilha obriga que eles destruam a capacidade produtiva e militar da China e seus aliados. 

Entretanto há diversos fatores geopolíticos que impedem que os Estados Unidos se lancem imediatamente contra a China, o primeiro desses fatores é a dificuldade de invadir um país com maior população do mundo, com uma produção industrial inigualável e com forças armadas que evoluem tecnologicamente numa velocidade muito maior do que eles. Além disso há outro fator externo que impede esse movimento, a Rússia, que é atualmente a maior aliada da China e apesar de sua economia ser pequena em relação aos países hegemônicos as suas forças armadas demonstraram ao longo de sua história que são um país que cobra altíssimo a invasão de suas fronteiras. 

PUBLICIDADE

Outro fator importante é que os Estados Unidos perderam o tempo para sua ação militar à medida que a Rússia detém sistemas de defesa que muitos são superiores aos norte-americanos e provavelmente a cooperação nessa área com a China está sendo intensiva. 

Sob o ponto de vista militar outro princípio militar que os norte-americanos não estão respeitando que já levou a derrotas vários países extremamente fortes para nações com menor potência militar. Manter uma organização militar e dar ênfase a tipos de armamentos que foram utilizados na última guerra que eles venceram. Por exemplo, a guerra realmente vencida pelos USA foi contra o Japão na segunda grande guerra e essa foi vencida pelo uso de porta-aviões, como tanto a Rússia como a China têm um orçamento militar muito menor, eles procuram tecnologias disruptivas, mais baratas e mais eficientes. 

PUBLICIDADE

Há uma chance que essas guerras não ocorram pelos motivos citados, porém se as lendas urbanas do “Excepcionalismo americano” e o “destino manifesto” ainda estiver impregnado no comando do país, a Armadilha de Tucídides pode se transformar numa profecia autorrealizável e poderá ocorrer a última das guerras da civilização humana. 

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email