Mais um passo na destruição da Previdência Social

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (10), o texto base da Reforma da Previdência. Foram 379 votos favoráveis contra 131. O governo, mais uma vez, manobrou e passou o rolo compressor para aprovar a matéria. Exonerou ministros que são deputados para aumentar o quórum e liberou dinheiro para os aliados. Uma compra de votos descarada ao estilho do toma lá, dá cá.

Esta é única pauta do governo. Pauta do sistema financeiro, diga-se de passagem. A mídia conservadora não fala de outra coisa. Leva terror aos brasileiros, alarmando a população de que o país está no fundo do poço. Além de repetir dia e noite que a reforma vai salvar o Brasil.

A aprovação foi comemorada, infelizmente. É preciso colocar os pontos no “is.” Se a previdência está com algum déficit neste momento é por causa da queda na arrecadação. E como se faz arrecadação da Previdência? Com geração de empregos e com a recuperação da atividade econômica. Desde 2014, com o golpe, a economia está estagnada e o desemprego vem subindo. Muitos brasileiros foram para a informalidade. Tudo isso faz cair a arrecadação da Previdência.

A Reforma em si não resolve o problema do déficit. Ela vai gerar mais déficit ainda.  A receita está errada. Não vai salvar o paciente. Vai matá-lo!

A reforma do jeito que está não é reforma, mas um ajuste fiscal violento. Pretende economizar 1 trilhão de reais. E sabe de onde vai sair esta receita?  Dos próprios aposentados e pensionistas que recebem até dois salários mínimos. Quem vai ganhar e lucrar com isso? Os bancos e o sistema financeiro. Daí o gasto milionário com propaganda dia e noite para manipular a opinião pública.

O que pode salvar o país e melhorar a qualidade da população é o investimento público; o acesso ao crédito; investimentos em infraestrutura; moradia; saneamento e tantas outras demandas. Não é tirando dos pobres, das famílias e nem reduzindo o consumo que o país vai melhorar. É o contrário. No dicionário deste governo e da equipe econômica não existe a palavra desenvolvimento, investimento, geração de empregos. Só existem cortes, ajustes, retirada de direitos. O governo é uma agência do mercado financeiro. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email