O presidente-banana

"Quem manda de verdade não precisa dizer a toda hora que manda; presidente que conhece o seu papel sabe que não é ele que manda, apenas representa a população brasileira", escreve o jornalista Alex Solnik

Bolsonaro é um estorvo
Bolsonaro é um estorvo (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia  - Bolsonaro já confessou ter passado a infância carregando cachos de banana.

 Banana é um evidente símbolo fálico, referência constante na retórica presidencial, ao lado do cocô.

 Ao tentar se afirmar, ontem, dizendo que quem manda na Polícia Federal é ele, pois não é “um banana", o presidente revelou ainda não ter superado o trauma da infância nem se livrado da retórica sexual e chula.

 E forjou uma alcunha que vai pegar: o presidente-banana.

 Quem manda de verdade não precisa dizer a toda hora que manda; presidente que conhece o seu papel sabe que não é ele que manda, apenas representa a população brasileira.

 Que é quem manda de verdade.

 Como diz a constituição, todo o poder emana do povo.

 E não do presidente da República.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email