Após pesquisas, pessimismo toma conta de aliados de Bolsonaro no Planalto

Expectativa interna era de que, a esta altura, presidente já estaria próximo de Lula nas intenções de voto, mas a distância apenas vem aumentando

Bolsonaro e Lula
Bolsonaro e Lula (Foto: Isac Nóbrega/PR | REUTERS/Washington Alves)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Após um lampejo de otimismo com as projeções de abril para a corrida presidencial de 2022, os resultados das pesquisas das últimas semanas, que mostram o ex-presidente Lula (PT) disparado na liderança, tomaram os aliados do presidente Jair Bolsonaro (PL) por um crescente pessimismo, de acordo com a coluna de Guilherme Amado, no Metrópoles.

Segundo a coluna, o entorno de Bolsonaro avaliava que, neste momento, o presidente já deveria estar "encostado" no petista nas intenções de voto. O que o Datafolha mostrou no fim de maio, por outro lado, é um cenário radicalmente oposto: 21 pontos percentuais separam Lula (líder) do atual chefe do executivo. Em tal cenário, o ex-presidente poderia ser eleito no primeiro turno.

continua após o anúncio

Além de não ter confirmado a tendência de subida esboçada em abril, Bolsonaro, pelo contrário, viu sua situação piorar.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247