Bolsonaristas voltam às ruas para pedir ditadura, AI-5 e fim da quarentena (vídeo)

Bolsonaristas foram às ruas neste domingo (19) não apenas pedir o fim do isolamento social, contrariando a OMS, mas também com o objetivo de protestar em favor do AI-5. "Os corruptos, ladrões, estão assaltando a nação", diz um rapaz em Fortaleza (CE). "Queremos o AI-5"

O bolsonarismo continua fazendo apologia a práticas ditatoriais
O bolsonarismo continua fazendo apologia a práticas ditatoriais (Foto: Reprodução (Twitter))
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Bolsonaristas foram às ruas neste domingo (19) não apenas pedir o fim do isolamento social, contrariando a Organização Mundial da Saúde (OMS), mas também com o objetivo de protestar em favor do AI-5, que, em 1968, resultou no fechamento do Congresso, na intervenção em estados e em municípios, cassações de mandatos e em mais tortura e censura.

"Os corruptos, ladrões, estão assaltando a nação, as pessoas estão morrendo de fome, ficando desempregadas. Queremos o AI-5 e Bolsonaro no poder", afirma um rapaz em Fortaleza (CE).

Conhecido por posições extremistas, o próprio Jair Bolsonaro já fez apologia à Ditadura Militar (1964-1985) e classificou como "herói nacional" o ex-chefe do DOI-CODI coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) também defendeu o AI-5, em outubro do ano passado, argumentado que a esquerda poderia radicalizar na oposição ao governo do seu pai. "Tudo é culpa do Bolsonaro. Se a esquerda radicalizar neste ponto, a gente vai ter que dar uma resposta. Uma resposta que pode ser um novo AI-5. Alguma resposta será dada ", disparou ele. 


 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247