Defesa de Lula pede suspeição de Moro por evento na Petrobras

Advogados do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins protocolaram nesta segunda-feira 11 um pedido de exceção de suspeição contra o juiz Sergio Moro, da Lava Jato, por sua participação em um evento da Petrobras na semana passada e pelas considerações e aconselhamentos feitos pelo magistrado; a defesa lembra que a estatal do petróleo "é parte (acusadora) na ação contra Lula"; em seu discurso, Moro deu conselhos à companhia para evitar atos internos de corrupção, como a não contratação de indicações políticas e o monitoramento da vida dos executivos

Advogados do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins protocolaram nesta segunda-feira 11 um pedido de exceção de suspeição contra o juiz Sergio Moro, da Lava Jato, por sua participação em um evento da Petrobras na semana passada e pelas considerações e aconselhamentos feitos pelo magistrado; a defesa lembra que a estatal do petróleo "é parte (acusadora) na ação contra Lula"; em seu discurso, Moro deu conselhos à companhia para evitar atos internos de corrupção, como a não contratação de indicações políticas e o monitoramento da vida dos executivos
Advogados do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins protocolaram nesta segunda-feira 11 um pedido de exceção de suspeição contra o juiz Sergio Moro, da Lava Jato, por sua participação em um evento da Petrobras na semana passada e pelas considerações e aconselhamentos feitos pelo magistrado; a defesa lembra que a estatal do petróleo "é parte (acusadora) na ação contra Lula"; em seu discurso, Moro deu conselhos à companhia para evitar atos internos de corrupção, como a não contratação de indicações políticas e o monitoramento da vida dos executivos (Foto: Gisele Federicce)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Os advogados do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins, protocolaram nesta segunda-feira 11 um pedido de exceção de suspeição contra o juiz Sergio Moro, da Lava Jato, por sua participação em um evento da Petrobras na semana passada e pelos conselhos feitos pelo magistrado.

No documento, a defesa pede que Moro se afaste dos processos contra Lula e lembra que a estatal do petróleo "é parte (acusadora)" nas ações contra o ex-presidente.

A defesa lembra que, um dia antes de visitar a Petrobras, Moro aceitou pedido do Ministério Público para incluir a Petrobras como Assistente de Acusação. "Passou a ser parte formal, pois", destaca a petição.

continua após o anúncio

Os advogados também pedem, além do afastamento de Moro, a suspensão do prosseguimento do processo e a declaração sobre se ele recebeu alguma recompensa para participar do evento da Petrobras, além de áudios e vídeos da visita por parte da empresa e a explicação se pagou pela participação de Moro.

Moro foi convidado na semana passada a participar do 4º Evento Petrobrás em Compliance, na sede da estatal, no Rio de Janeiro. Em seu discurso, ele fez sugestões à diretoria de práticas que devem ser adotadas para evitar a corrupção, como evitar indicações políticas e monitorar o modo de vida e a moradia dos executivos.

continua após o anúncio

"Em nenhum lugar do mundo juiz vai visitar uma parte para dar-lhe conselhos jurídicos", rebateu Zanin em nota. "O discurso feito hoje pelo juiz Sérgio Moro na sede da Petrobras por si só compromete a aparência de imparcialidade e pode motivar o reconhecimento da sua suspeição", completou o advogado.

Confira aqui o documento apresentado pela defesa.

continua após o anúncio
continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247