Desmatamento na Amazônia aumentou 80% em setembro, diz Imazon

Dados do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) mostram que a Amazônia perdeu 802 km² de floresta em setembro, um aumento de 80% em relação a setembro de 2018, quando foram detectados 444 km². O estado onde mais ocorreu desmatamento foi o Pará, com 53% do total

247 -  Dados do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), divulgados nesta quarta-feira (6) pelo Imazon mostram que em setembro, a Amazônia perdeu 802 km² de floresta, um aumento de 80% em relação a setembro de 2018, quando foram detectados 444 km².

Segundo o Imazon, o estado onde mais ocorreu desmatamento foi o Pará (53%), seguido de Rondônia (13%), Amazonas (11%), Acre (11%), Mato Grosso (10%) e Roraima (2%).

“Os meses iniciais da estação de desmatamento são os que geralmente mais contribuem para a taxa anual de desmatamento. Portanto, é importante impor um controle mais intenso nesse período. A área de alerta de desmatamento detectada pelo SAD de agosto a setembro de 2019 aponta um aumento de 71% em relação ao mesmo período no ano anterior. Isso significa que o ritmo do desmatamento está maior no início dessa nova estação”, explica Carlos Souza, coordenador do SAD.

A Reserva Extrativista Chico Mendes (AC), a Área de Proteção Ambiental Triunfo do Xingu (PA) e a Reserva Extrativista Jaci Paraná (RO) lideram o ranking de Unidades de Conservação mais desmatadas em setembro. As terras indígenas Apyterewa, Cachoeira Seca do Iriri e Ituna/Itatá, todas no Pará, estão no topo das que mais perderam área florestal no mês.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247