CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Governo avalia estender por tempo indeterminado permanência de embaixador que voltou de Israel

Frederico Meyer chegou ao Brasil há uma semana, após ser convocado de volta ao país devido à tensão diplomática com Israel, que passou a atacar o presidente Lula

Embaixador do Brasil em Israel, Frederico Meyer (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O governo brasileiro avalia estender a permanência do embaixador Frederico Meyer por tempo indeterminado no Brasil, enquanto busca distensionar as relações com Israel, diz a CNN Brasil. Meyer chegou ao Brasil há uma semana, após ser convocado de volta ao país devido à tensão diplomática decorrente da declaração em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) comparou o massacre de civis palestinos ao Holocausto. Desde o seu retorno, Meyer não se encontrou com Lula e manteve apenas um encontro rápido com o chanceler Mauro Vieira.

Embora o encontro entre Meyer, Lula e Vieira ainda não tenha ocorrido, fontes da diplomacia brasileira sugerem que a agenda lotada de ambos prejudicou a marcação. O país sediou uma reunião do G20, e, nesta quarta-feira (28) o presidente viaja para Georgetown, capital da Guiana, onde participa, como convidado especial, do encerramento da 46ª Cúpula de Chefes de Governo da Comunidade do Caribe (Caricom).

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“Nesse sentido, o Brasil está sem embaixador em Israel há mais de uma semana e, segundo fontes da diplomacia brasileira, não há previsão de que ele retorne no curto prazo”, destaca a reportagem.

Nesta quarta-feira, o ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, voltou a criticar o presidente Lula e a exigir que ele se retrate da declaração feita durante uma viagem à Etiópia, no início de fevereiro.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO


presidente Lula tem se destacado como a principal voz no mundo a se erguer contra o genocídio perpertrado pelo governo de Benjamin Netanyahu contra o povo palestino. Desde o 7 de outubro, Netanyahu já comandou o assassinato de 30 mil palestinos, sobretudo mulheres e crianças, feriu 70 mil, deslocou 1,5 milhão de pessoas e destruiu as residências e a infraestrutura de Gaza. Rabinos judeus ortodoxos do grupo Torah Judaism dão razão ao presidente brasileiro e dizem que as ações de Netanyahu são ainda mais graves do que as práticas nazistas.


iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO