Bolsonaro ignora pandemia, obriga volta às aulas em janeiro e reitores reagem

Portaria do Ministério da Educação de Jair Bolsonaro determina retorno às aulas presidenciais nas instituições de ensino superior. Com a portaria, além de decretar a volta das aulas presenciais em 4 de janeiro, o MEC, na prática, proíbe as aulas à distância, por internet. O reitor da UFBA, João Carlos Salles, disse que decisão é "absurda" e não será acatada

(Foto: Alan Santos/PR | Reuters | Imagens USP)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Portaria do Ministério da Educação, comandado pelo pastor Milton Ribeiro, determina o retorno as aulas presidenciais nas instituições de ensino superior. Com a portaria, editada nesta terça-feira (1) e publicada nesta quarta-feira, além de decretar a volta das aulas presenciais em 4 de janeiro, o MEC, na prática, proíbe as aulas à distância, por internet.

O reitor da UFBA, João Carlos Salles, disse que decisão é "absurda" e não será acatada, segundo o UOL.

Leia os artigos da portaria que definem a obrigatoriedade da volta às aulas presenciais e, na prática, vetam as aulas à distância:

"Art. 1º As atividades letivas realizadas por instituição de educação superior integrante do sistema federal de ensino, de que trata o art. 2º do Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017, deverão ocorrer de forma presencial, observado o Protocolo de Biossegurança instituído na Portaria MEC nº 572, de 1º de julho de 2020, a partir da data de entrada em vigor desta Portaria", diz o documento.

"Art. 2º Os recursos educacionais digitais, tecnologias de informação e comunicação ou outros meios convencionais deverão ser utilizados de forma complementar, em caráter excepcional, para integralização da carga horária das atividades pedagógicas, no cumprimento das medidas para enfrentamento da pandemia de Covid-19 estabelecidas no Protocolo de Biossegurança instituído na Portaria MEC nº 572, de 2020".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email