Governo Bolsonaro usa dados falsos para divulgar supostos êxitos no combate ao desmatamento da Amazônia

Governo associa suas políticas a uma falsa constatação da diminuição dos índices de desmatamento

www.brasil247.com - Amazônia bate recorde diz Inpe em desmatamento no mês de junho.
Amazônia bate recorde diz Inpe em desmatamento no mês de junho. (Foto: Vinícius Mendonça/Ibama)


247 - Cinco ministérios do governo Jair Bolsonaro apontaram uma reversão do desmatamento da Amazônia, um mês após fim do ciclo com a maior devastação em 15 anos e dizem que esse resultado é fruto de suas políticas. 

Reportagem da Folha de S.Paulo relata que em uma reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal, realizada em agosto, os presentes trataram como certa uma redução de 5% no desmatamento da floresta amazônica. O Conselho é dirigido pelo general Hamilton Mourão, vice-presidente da República.

Naquela reunião, representantes de cinco ministérios - Ciência e Tecnologia, Agricultura, Defesa, Economia e Minas e Energia - listaram quais de suas políticas tinham levado à melhora dos números.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Entre as ações atreladas ao suposto êxito no combate ao desmatamento estão a destinação de terras públicas a uso por posseiros, o que é apontado por críticos como porta para a grilagem, formalização do garimpo em região com pilhagem de ouro e impacto em comunidades indígenas, e a fracassada intervenção militar na Amazônia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas os números oficiais, divulgados pelo Inpe no último dia 18, apontaram um resultado bem diferente daquele tratado na reunião. Em vez de diminuir, o desmatamento da Amazônia na verdade explodiu, chegando a 13.235 km² no período que vai de agosto de 2020 a julho de 2021. Isso representa um aumento de 22% em relação ao ciclo anterior.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email