CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Minuta do golpe previa prisão de Gilmar Mendes, Moraes e Pacheco

Bolsonaro pediu alterações na minuta entregue por Filipe Martins, prevendo apenas a prisão de Alexandre de Moraes e a convocação de novas eleições

Imagem Thumbnail
(Foto: ABr)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes derrubou o sigilo de suas decisões que autorizaram a operação da Polícia Federal nesta quinta-feira (8) contra Jair Bolsonaro (PL) e seus aliados mais próximos, como os ex-ministros Augusto Heleno e Braga Netto. A operação ocorre no âmbito das investigações sobre o 8 de janeiro.

Segundo Daniela Lima, do g1, todos os pedidos feitos pela PF a Alexandre de Moraes foram endossados pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Na decisão de Moraes constam detalhes sobre a minuta golpista, encontrada na casa do ex-ministro Anderson Torres. O documento foi entregue a Jair Bolsonaro por Filipe Martins, seu então assessor. A minuta previa a prisão dos ministros do Supremo Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes, além do presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Bolsonaro, então, pediu alterações no texto, que passou a prever apenas a prisão de Moraes e a convocação de novas eleições.

"Segundo a PF, a agenda de Alexandre de Moraes era inteira detalhada para que o ministro fosse acompanhado em tempo integral e, caso houvesse o golpe militar planejado pelo grupo, ele pudesse ser preso", diz a reportagem.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO