MPF quer afastamento imediato da presidente do Iphan após Bolsonaro confessar interferência

Procuradoria entrou com ação popular na Justiça após Bolsonaro dizer que "ripou todo mundo" do Iphan para favorecer obra das lojas Havan e indicou presidente para órgão não dar "dor de cabeça"

Larissa Rodrigues Peixoto Dutra
Larissa Rodrigues Peixoto Dutra (Foto: Agência Câmara)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Revista Fórum - O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou, nesta quinta-feira (16), uma “tutela de evidência”, no âmbito de uma Ação Popular (AP), em que solicita à Justiça Federal o afastamento imediato de Larissa Rodrigues Peixoto Dutra da presidência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

O motivo é o fato de, segundo o MPF, Bolsonaro ter confessado desvio de finalidade na indicação de Larissa para a presidência do órgão.

continua após o anúncio

Isso porque nesta quarta-feira (15), em evento realizado na Federação das Indústrias do Estado de São (Fiesp), o chefe do Executivo deixou claro que indicou a presidente do Iphan para que o órgão não dê “dor de cabeça”. Ele exemplificou como interferiu no instituto ao narrar a ocasião em que mandou “ripar todo mundo” para beneficiar uma obra da rede de lojas Havan, de seu aliado Luciano Hang.

Continue lendo na Fórum

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247